As belas peças de cerâmica artesanal de Maria Cristo

As belas peças de cerâmica artesanal de Maria Cristo

14 de Março, 2022 0

O UniPlanet falou com a artesã Maria Cristo que nos deu a conhecer o seu trabalho.

 

UniPlanet (UP): Como nasceu o teu projeto de cerâmica?

Primeiro que tudo, a minha formação e percurso profissional não têm nada a ver com cerâmica. Sou engenheira química, mudei-me para a informática e, depois, durante pouco tempo para a museologia.

Sou de Lisboa mas há uns anos também me mudei para as Caldas da Rainha. Nesta cidade a cerâmica sempre foi muito importante e existe um Centro de formação para a cerâmica – o Cencal.

A dada altura achei que gostaria de fazer lá alguma formação nesta área e assim foi, deixei tudo para trás e fiz variadíssimos cursos, alguns dos quais de um ano.

Finalmente, decidi criar as minhas próprias peças.

 

 

UP: Que técnicas e materiais usas?

Gosto muito de trabalhar com lastra, rolinho e olaria de roda, bem como mistura delas todas. Infelizmente, a olaria (que adoro) tive de deixar de fazer por motivos de saúde.

Utilizo faiança, terracota, grés e alguma porcelana. A minha preferência vai para o grés.

Também utilizo tintas, engobes e vidrados.

 

 

UP: Onde vais buscar inspiração para as tuas peças?

Sou muito ligada ao mar e à natureza. Adoro os verdes e azuis profundos que tanto podem representar o mar como a floresta. Como ponto de equilíbrio, gosto de combinar tons terra ou, algumas vezes, a alegria dos amarelos e laranjas.

 

 

UP: É difícil ser-se artesã em Portugal? O que achas que podia ser melhorado?

Sim, sem dúvida. Alugar um espaço para trabalhar é caríssimo. Quem quer começar a fazer umas experiências em cerâmica ou tem um espaço próprio ou terá de dividir com outras pessoas.

Penso que, em Portugal deveria haver algum incentivo, pelo menos para quem quer começar. O artesanato é sempre um parente pobre das profissões. Aliás, de um modo geral, nem é considerado como uma profissão. É verdade que há quem faça artesanato como um hobby, mas muitos artesãos vivem do artesanato que produzem.

Aliás, neste sentido, muitos consumidores não dão a importância devida à atividade artesanal. Os tempos são de consumismo e preferem adquirir uma peça igual a milhões de outras em vez de uma peça única, feita à mão por uma pessoa só, com muitas horas de trabalho dedicado. A questão também passa, obviamente, pelos salários muito baixos que, infelizmente, se praticam em Portugal e, daí, o fraco poder de compra da grande maioria dos portugueses.

Ainda outra questão é a cultura dos portugueses que, na minha opinião, ainda associa a produção de cerâmica a uma atividade menor, enquanto em muitos países estrangeiros é considerada uma arte.

Estas são questões muito pertinentes que, enquanto não se resolvem, torna a atividade artesanal muito difícil de praticar. O que é realmente uma grande pena.

 

 

UP: Onde podemos encontrar as tuas peças à venda?

O meu trabalho está em constante atualização no meu perfil de Instagram @maria.cristo.ceramica 

Para contactos relativos ao meu trabalho, o meu endereço de email é mariacristoneves@gmail.com.

Devo acrescentar que as minhas peças são únicas, inteiramente feitas à mão por mim e, normalmente, não aceito encomendas.

As minhas peças podem ser encontradas para venda em algumas lojas, em algumas feiras na zona de Lisboa ou através do envio online.

 

Comentários
Siga-nos no Facebook, Instagram e Telegram!

Subscreva a nossa newsletter

[Newsletter Diária]

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.