Tigres vão regressar ao Cazaquistão, 70 anos após a sua extinção no país

Tigres vão regressar ao Cazaquistão, 70 anos após a sua extinção no país

12 de Setembro, 2017 0

Tigre

Os tigres selvagens vão regressar finalmente ao Cazaquistão, após a sua extinção no país durante os anos 40. No passado dia 8 de setembro, o governo do Cazaquistão anunciou planos para a reintrodução dos grandes felinos na região de Ili-Balkhash.

O plano de reintrodução, traçado em conjunto com o grupo de conservação da vida selvagem WWF, prevê a criação de uma reserva natural e a restauração de uma floresta que faz parte do território histórico do tigre.

Se for bem-sucedido nos seus esforços, o Cazaquistão será o primeiro país a devolver os tigres à Ásia Central, onde ficaram extintos há quase meio século.

Nos últimos 100 anos, as populações globais de tigres em estado selvagem viram um declínio vertiginoso de 96% – de 100 000 para apenas 3890 em 2016. Na Ásia Central, estes animais desapareceram por completo nos anos 60, devido à perda de habitat e à caça.

Estas ameaças também foram responsáveis pela dizimação das espécies nativas de presas das quais os tigres outrora se alimentavam. Como tal, presas como o burro selvagem asiático e o veado Cervus elaphus bactrianus também serão reintroduzidas na reserva natural de forma a proporcionar alimento suficiente aos grandes felinos.

O projeto demorará vários anos a ser preparado e os tigres só deverão ser reintroduzidos a partir de 2025.

“Temos a honra de ser o primeiro país da Ásia Central a implementar um projeto tão importante e em grande escala, que não só trará os tigres selvagens de volta ao seu lar ancestral como também ajudará a proteger o ecossistema único da região de Ili-Balkhash”, declarou Askar Myrzakhmetov, ministro da agricultura do Cazaquistão.

“Graças a anos de estreita colaboração entre peritos em conservação do Cazaquistão e da Rússia, identificamos o melhor território possível em Ili-Balkhash para a reintrodução de uma população próspera de tigres selvagens”, disse Igor Chestim, director da WWF-Russia.

Comentários
Deixe uma resposta

Your email address will not be published.