O governador do estado de Nova Iorque promulgou uma lei que proíbe o uso de elefantes em circos, paradas e outros espetáculos itinerantes.


Cria de elefante treinada com recurso a ganchos de metal para realizar truques num circo (PETA)

O governador do estado de Nova Iorque, Andrew Cuomo, promulgou uma lei que proíbe o uso de elefantes em circos, paradas e outros espetáculos itinerantes no estado norte-americano. A medida entrará em vigor em outubro de 2019.

“Os elefantes são explorados e maltratados em espetáculos há demasiado tempo”, disse Amy Paulin, membro da Assembleia de Nova Iorque. O confinamento, tortura e condições de vida pouco saudáveis têm levado à morte prematura destes animais inteligentes e gentis.”

O gabinete do governador salientou que a esperança de vida dos elefantes usados para entretenimento é, frequentemente, metade da dos seus congéneres selvagens.

“A utilização de elefantes neste tipo de ambiente é prejudicial à sua saúde e uma fonte potencial de maus-tratos”, disse Andrew Cuomo num comunicado.



Os infratores arriscar-se-ão a pagar multas de até 1000 dólares (830€) por incidente. Os jardins zoológicos não serão afetados pelas novas regras.

“Saudamos o governador Cuomo por ter promulgado este decreto histórico. Os elefantes são uma espécie estimada e o apoio do público para a sua proteção está a crescer. O uso de elefantes em circos e outros espetáculos itinerantes é uma prática obsoleta e causa sofrimento desnecessário a estes animais magníficos, disse Brian Shapiro da Humane Society, uma organização de defesa dos direitos dos animais.

Uns meses antes, a cidade de Nova Iorque tinha proibido os circos com animais selvagens, juntando-se a uma lista crescente de cidades, estados e países que já restringiram ou proibiram este tipo de espetáculos, que também inclui a Escócia, a Irlanda e a Itália.

Subscrever a Newsletter

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.