O parlamento italiano aprovou a proibição do uso de animais selvagens em circos e espetáculos itinerantes.

Urso no circo

O parlamento italiano votou, no dia 8 de novembro, a favor da proibição da utilização de animais selvagens nos circos e espetáculos itinerantes.

Segundo dados da Animal Defenders International (ADI), existem 100 circos no país com cerca de 2000 animais forçados a participar em espetáculos, o que, para a organização, “faz desta uma das maiores vitórias na campanha para se acabar com o sofrimento nos circos”.

Com esta medida, a Itália junta-se a 40 países e muitas outras cidades e estados que já adotaram proibições totais ou parciais do uso de animais selvagens nos circos.

Viajando de lugar em lugar, semana após semana, utilizando jaulas e currais desmontáveis temporários, os circos simplesmente não podem garantir a satisfação das necessidades dos animais”, disse Jan Creamer, presidente da ADI. “Através de investigações encobertas, mostramos a violência e os maus-tratos usados para forçar estes animais a obedecer e a realizar truques. Aplaudimos a Itália e instamos outros países, como o Reino Unido e os EUA, a seguir o seu exemplo e a acabar com esta crueldade.”

“As exigências em matéria de bem-estar dos animais selvagens não domesticados não podem ser satisfeitas num circo itinerante – no que diz respeito à acomodação ou à capacidade de expressar o seu comportamento natural”, defendeu a Associação Veterinária Britânica.

Recentemente, a Índia proibiu o uso de animais selvagens em circos, juntando-se a uma lista crescente que também inclui a Roménia e a Eslováquia.
Foto: Urso num circo em Nova Iorque (Tim Evanson)


Vídeo: Circo com ursos "dançarinos", na Mongólia

Subscrever a Newsletter

Partilha:

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.