Museu de História Natural de Londres deixa de vender garrafas de plástico para proteger oceanos

Museu de História Natural de Londres deixa de vender garrafas de plástico para proteger oceanos

13 de Dezembro, 2017 0

O Museu de História Natural vai deixar de vender garrafas de água de plástico nas suas instalações em Londres e em Tring, para ajudar a “reduzir o dilúvio de plástico nos nossos oceanos”.

A instituição, que já tinha deixado de oferecer palhinhas de plástico nos seus cafés, irá promover o acesso dos visitantes a bebedouros e encorajar as pessoas a reutilizarem as suas garrafas e copos, em vez de comprarem produtos descartáveis.

A decisão do museu tem como pano de fundo a preocupação crescente dos cientistas e ambientalistas com o impacto dos resíduos plásticos nos oceanos.

Todos os anos, milhões de toneladas de plástico são despejadas no oceano e, a cada minuto, um milhão de garrafas de plástico são compradas no mundo – a maioria das quais acaba nos aterros ou no oceano.

“É vital que instituições científicas como o Museu assumam a liderança na luta para compreender e proteger o mundo natural”, disse Ian Owens, diretor de ciência do Museu. “A poluição de plástico está a ter um efeito devastador em muitas espécies marinhas e nos ecossistemas que sustentam a vida na Terra. Milhões de garrafas descartáveis de plástico são compradas todos os dias, só no Reino Unido, e milhares de milhões acabam no mar todos os anos.”

“Nós estamos a fazer a nossa parte para encorajar uma mudança coletiva de estilo de vida, que ajudará a reduzir o dilúvio de plástico nos nossos oceanos”, declarou.

Em 2014, um estudo realizado por cientistas do Museu de História Natural, em colaboração com a Universidade Royal Holloway de Londres, revelou a dimensão da poluição causada pelos plásticos no rio Tamisa e os níveis deste material nos estômagos dos peixes do rio.

Comentários
Deixe uma resposta

Your email address will not be published.