Fotografias chocantes mostram o mar das Caraíbas coberto por um "manto" de resíduos de plástico.



Estas fotografias não são as que estaria à espera de ver das ilhas paradisíacas das Caraíbas. Em vez de retratarem as famosas águas azuis límpidas, elas mostram uma “maré” de lixo de plástico a cobrir o mar.

As fotografias foram tiradas perto da ilha de Roatán, nas Honduras, pela mergulhadora e fotógrafa Caroline Power, que achou "devastadora" a visão do “manto” de talheres, sacos, garrafas e embalagens de plástico a flutuar entre as algas.

Uma das imagens, tirada debaixo de água, mostra como os resíduos de plástico à deriva não deixavam a luz do Sol passar.


Colheres e garfos de plástico entre o lixo encontrado a flutuar | Foto: Caroline Power Photography

Segundo a Blue Planet Society, uma organização que luta pela proteção dos oceanos, o plástico poderá provir do rio Montagua, na Guatemala, que foi filmado recentemente a transportar uma torrente de lixo para o mar.

Caroline partilhou as fotografias nas redes sociais, com a esperança de fazer as pessoas pensar sobre o plástico que utlizam no seu quotidiano e os impactos do seu consumo.

Um "mar de plástico" | Foto: Caroline Power Photography

“Isto tem de acabar. Pensem no vosso dia-a-dia”, escreveu a fotógrafa no Facebook. “Como levaram a comida para casa da última vez que comeram fora? Como vos foi servida a última comida de rua que compraram? O mais provável é que tenha sido servida [numa embalagem de] esferovite com um garfo de plástico e depois colocada dentro de um saco de plástico.”

“Ainda usam sacos de plástico para o lixo? Garrafas de refrigerante de plástico? Sacos de vácuo? Película aderente na comida? Compram papel higiénico que vem embrulhado em plástico em vez de papel? Colocam a fruta e os vegetais em sacos de plástico no supermercado?”, questionou Caroline.

“Desafio todas as pessoas e todas as empresas a guardar o lixo que fazem durante uma semana. Separem o lixo orgânico e os materiais recicláveis e guardem tudo o resto durante uma semana. Ficarão indignados com a quantidade de artigos descartáveis que usam.”


Mar das Caraíbas invadido por plástico | Foto: Caroline Power Photography

Até 2050, haverá mais plástico do que peixes nos oceanos (por peso). Todos os anos, pelo menos oito milhões de toneladas de resíduos deste material invadem o mar.

Esta poluição já afeta centenas de espécies em todo o mundo, estimando-se que, todos os anos, mais de um milhão de aves e 100 mil animais marinhos, incluindo mamíferos e tartarugas, morram vítimas dos detritos de plástico nos oceanos.

John Hourston, da Blue Ocean Society, explica que, no mar, o plástico se fragmenta em partículas minúsculas que entram na cadeia alimentar quando o plâncton e os peixes as ingerem. Segundo estimativas das Nações Unidas, existirão 51 biliões de partículas de microplásticos nos mares e oceanos – 500 vezes o número estimado de estrelas na nossa galáxia.

“Crê-se que 90% das aves marinhas já ingeriram algum tipo de plástico e há muitos exemplos de tartarugas e baleias a confundir o plástico com comida. Todos nós temos um papel a desempenhar na redução dos resíduos de plástico, mas os fabricantes e o governo precisam de assumir o comando, disse o ativista.


Subscrever a Newsletter

Partilha:

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.