A EFSA fez “copy paste” de parágrafos inteiros de um relatório da Monsanto para que a licença do glifosato seja renovada na Europa.

relatório da EFSA

A Autoridade Europeia para a Segurança Alimentar (EFSA) fez “copy paste” de parágrafos inteiros de páginas de um estudo da Monsanto sobre o glifosato (principal ingrediente do RoundUp) para o seu relatório que será analisado para a futura renovação da licença deste herbicida na Europa.

A EFSA tinha ficado de elaborar um relatório científico independente sobre os efeitos deste herbicida na saúde humana. Em 2015, um estudo da Agência Internacional para a Investigação do Cancro (IARC) da Organização Mundial de Saúde (OMS) tinha considerado o glifosato como um “carcinogénio provável”, enquanto que a EFSA considerou que não existiam tais indícios.

Os parágrafos copiados do relatório da Monsanto incluem informação sobre a relação entre o glifosato e a mutação de células associadas a doenças cancerígenas ou reprodutivas.

Em resposta a estas alegações, a EFSA argumentou que o relatório elaborado pela entidade alemã BfR se baseou nos “estudos e literatura científica disponíveis”.

“Quer isto seja uma questão de negligência ou seja propositado, é completamente inaceitável, afirmou Franziska Achterberg responsável pela política alimentar da Greenpeace na Europa.

A Comissão Europeia decidiu, no dia 28 de junho de 2016, prolongar por 18 meses (até 31 de dezembro de 2017) a licença do glifosato. A França votou contra; Portugal, Alemanha, Itália e Áustria abstiveram-se.


Veja também:
Glifosato: Carta aberta de médico alerta para falhas das agências europeias
Ordem dos Médicos Contra a Utilização do Glifosato da Monsanto

Subscrever a Newsletter

Partilha:

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.