A linha de pesca perdida no oceano por ano dá para ir à lua e voltar

A linha de pesca perdida no oceano por ano dá para ir à lua e voltar

20 de Outubro, 2022 0

A linha de pesca comercial que é perdida no oceano a cada ano é suficiente para se estender até à lua e voltar, de acordo com um novo estudo sobre artes de pesca perdidas, publicado na revista Science Advances.

A quantidade impressionante de artes de pesca perdidas, que inclui 25 milhões de armadilhas e 14 mil milhões de anzóis, teve provavelmente consequências mortais para a vida marinha.

As redes de pesca perdidas ou descartadas a cada ano são suficientes para cobrir a Escóciase todos os fios de pesca perdidos fossem unidos dariam para dar a volta à Terra 18 vezes.

“Isto causa um número inimaginável de mortes desconhecidas que podem ter efeitos no nível populacional da vida selvagem marinha”, disse Denise Hardesty, da agência científica CSIRO do governo australiano, e uma das autoras do estudo.

Os investigadores do CSIRO e da Universidade da Tasmânia entrevistaram 451 pescadores comerciais de sete países (EUA, Marrocos, Indonésia, Belize, Peru, Islândia e Nova Zelândia) para saberem que materiais costumavam perder. Os países foram escolhidos por possuírem uma indústria pesqueira que utiliza vários métodos de pesca. No estudo compararam essas entrevistas com dados sobre a quantidade de pesca comercial global para estimar o que é perdido.

Os barcos menores perderam mais artes de pesca do que os barcos maiores.

Os pescadores perdem muitas vezes as redes por causa do mau tempo, quando estas não estão devidamente presas, ou quando o equipamento fica emaranhado com as redes de outras embarcações próximas.

As redes de pesca perdidas continuam a capturar e matar animais (tartarugas, baleias, tubarões, golfinhos, pássaros) durante anos, quer estejam a flutuar, se tenham afundado ou tenham chegado à costa.

Estas redes aumentam também o problema global do lixo plástico marinho.

“As redes fantasma – como são chamadas – são uma forma particularmente letal de poluição plástica para toda a vida marinha. Depois de uma embarcação as perder, estas redes não param de pescar”, disse Richard Leck da WWF Austrália.

Richard Leck disse que o tratado global de poluição por plástico que está a ser negociado pela ONU tem de resolver o problema das redes fantasma a um nível global para garantir que os países sejam responsabilizados através de relatórios transparentes e de rotulagem das artes de pesca.

Isso afeta todos os países – não apenas os lugares onde as redes são perdidas. As artes de pesca podem migrar pelos oceanos e continuar a capturar peixes e a prejudicar espécies ameaçadas.”

 

Foto: Jordi Chias/WWF

Comentários
Siga-nos no Facebook, Instagram e Telegram!

Subscreva a nossa newsletter

[Newsletter Semanal]

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.