Aviões voam vazios para não perderem posição nos aeroportos

Aviões voam vazios para não perderem posição nos aeroportos

11 de Janeiro, 2022 0

Por causa da variante Ómicron as reservas nas companhias aéreas diminuíram drasticamente.

Para não perderem as suas “slots” (faixas horárias em que são autorizadas a descolar e aterrar num aeroporto), muitas companhias aéreas estão a realizar “voos fantasma” e a desperdiçar combustível. As regras europeias ditam que as companhias aéreas têm de utilizar pelo menos 80% das respetivas faixas horárias de descolagem e aterragem nos aeroportos se quiseram mantê-las na temporada seguinte. Se não as utilizarem, perdem-nas automaticamente e depois outra companhia aérea pode comprá-las.

Confrontadas com esta situação, há companhias aéreas a realizar “voos fantasma”, sem passageiros.

A Lufthansa alertou que teria de operar 18 mil voos “desnecessários” durante o inverno para manter os “slots” nos aeroportos.

Maaike Andries, porta-voz Brussels Airlines, explicou que “para a Brussels Airlines isto significa 3 mil voos, que poderiam ser evitados de um ponto de vista ecológico e económico, apenas para salvaguardar os nossos direitos de descolagem e aterragem”.

O ministro da Mobilidade da Bélgica, George Gilkinet, já escreveu uma carta à Comissão Europeia a pedir uma flexibilização das regras “para que não tenhamos aviões vazios no céu”.

Comentários

Gosta dos artigos do UniPlanet?

Apoie o nosso trabalho a partir de 1€ por mês.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.