O dinheiro é depois devolvido ao consumidor sempre que este entregar as embalagens numa das máquinas em supermercados ou lojas de bebidas.

Lata de Coca-cola

Os consumidores vão começar a pagar uma tara que pode ir de cinco a 15 cêntimos nas garrafas de plástico PET e latas de aço e alumínio, como, por exemplo, águas de nascente, minerais, sumos, néctares, refrigerantes, bebidas à base de chá e café, cerveja e cidra, de acordo com o Jornal de Notícias.

O dinheiro é depois devolvido ao consumidor sempre que este entregar as embalagens numa das máquinas de retorno situadas em supermercados ou lojas de bebidas.

Para garrafas entre um a três litros a tara deverá variar entre os 10 e os 15 cêntimos e para garrafas com menos de um litro será de cinco a dez cêntimos.
Estas garrafas terão dois novos símbolos no rótulo.
Os garrafões continuarão a ter de ser colocados em ecopontos, tal como as garrafas de vidro.

A introdução da tara estava prevista arrancar em 2022, mas a sua implementação está atrasada e deverá começar a funcionar apenas no final do primeiro semestre de 2023.

Embalagens de vinhos, bebidas espirituosas e outras com teor alcoólico superior a 10%, leite e bebidas com mais de 25% de ingredientes de origem láctea deverão ficar para já de fora do sistema, por poderem gerar mau cheiro nas máquinas e nos locais de armazenamento das embalagens.

Os restaurantes não cobrarão tara nas mesas, apenas se as bebidas forem vendidas em taka-away.

Subscrever a Newsletter

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.