A farmacêutica britânica GlaxoSmithKline pretende usar o esqualano de tubarão, obtido do óleo de fígado destes animais, na vacina contra a covid-19.

vacina

A farmacêutica britânica GlaxoSmithKline pretende usar o esqualano de tubarão, obtido do óleo de fígado destes animais, na vacina contra o novo coronavírus.

A empresa já usou este ingrediente nas vacinas contra a gripe, contudo para desenvolver uma para a covid-19 seria necessário matar cerca de 500 mil tubarões por cada mil milhões de doses.

É preciso lembrar que o tubarão é uma das espécies mais ameaçadas do presente. Todos os anos são capturados cerca de 70 milhões destes animais para o fabrico de vacinas e fins cosméticos.

"Colher algo de um animal selvagem nunca será sustentável, especialmente quando se trata de um predador que não se reproduz em grandes quantidades", alertou a diretora da Shark Allies, Stefanie Brendl. "[O esqualano] pode ser produzido a partir de fermento, bactérias, cana-de-açúcar, azeite e possivelmente até algas", lembra.

A extração deste componente de forma sintética demora 70 horas, enquanto que se for extraído de um tubarão demora dez horas, o que o torna uma opção mais barata.


Imagem: Jeff Kepler @seventh.voyage

Subscrever a Newsletter

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.