O Six Senses Douro Valley está situado na margem sul do rio Douro, entre vinhas centenárias e um rio magnífico, numa região classificada desde 2001 como Património Mundial pela Unesco.

Six Senses Douro Valley

O Six Senses Douro Valley está situado na margem sul do rio Douro, entre vinhas centenárias e um rio magnífico, numa região classificada desde 2001 como Património Mundial pela Unesco. Este hotel, erguido numa mansão do século XIX, localiza-se numa propriedade de oito hectares.

O UniPlanet falou com Raquel Dias, Sustainability Manager do hotel, que nos deu a conhecer o Six Senses Douro Valley.


UniPlanet (UP): Como nasceu o Six Senses Douro Valley?

Situado no vale do Douro, numa zona classificada como património mundial da UNESCO, a Quinta Vale de Abraão, propriedade da família Serpa Pimentel foi transformada em hotel e abriu em 2007 como hotel aquapura.

Explorer, um fundo de investimento e desenvolvimento português comprou o aquapura no início de 2014 e convidou o Six Senses Hotels Resorts Spas a transformar a Quinta Vale de Abraão no seu primeiro hotel na Europa. A Six Senses aceitou este desafio com grande alegria e em conjunto com o Fundo Revitalizar Norte e o gabinete de arquitetura Clodagh Design de Nova Iorque, transformou a casa da família Serpa Pimentel no Six Senses Douro Valley.



Six Senses Douro Valley


UP: Têm um forte compromisso com a sustentabilidade. Que medidas adotaram para tornar este projeto mais amigo do ambiente e da natureza?

A sustentabilidade é um dos pilares da Six Senses. Como tal, todas as operações são efetuadas com foco na sustentabilidade, sendo uma prioridade fazer sempre as escolhas mais sustentáveis. No hotel fazemos a gestão dos nossos resíduos, fazendo o correto encaminhamento dos mesmos. Os resíduos orgânicos vegetais são compostados na propriedade e o composto produzido é usado para nutrir o solo. Temos colmeias instaladas na nossa floresta, como sabem as abelhas são um importante polinizador e são, atualmente, uma espécie ameaçada. O consumo de produtos sazonais e locais é um prioridade.

Uma das medidas com maior impacto é o objetivo de deixarmos de usar plástico até 2022. Este objetivo, além de reduzir o nosso uso de plástico, cujo uso desenfreado tornou um dos maiores problemas de poluição mundiais, permite-nos ainda colaborar com os nossos fornecedores na procura de alternativas mais sustentáveis para transporte e acondicionamento das mercadorias. Existe um espaço no hotel chamado Earth Lab que é o espaço central da sustentabilidade e que funciona como espaço de partilha dos nossos projetos e sensibilização para esta temática.


Six Senses Douro Valley


Temos ainda o nosso fundo da sustentabilidade, resultante de 0,5 % da faturação. Esse fundo é utilizado para apoiar projetos de cariz social e ambiental. Entre outros projetos, atualmente apoiamos a Associação para o Estudo e Proteção do Gado Asisino (AEPGA), responsável pela preservação do burro de Miranda, uma espécie autóctone em risco de extinção, a Bagos D’ouro, uma instituição que apoia e acompanha crianças na zona do Douro, a Escola de Futsal Os Afonsinhos, que além da parte desportiva faz um trabalho fundamental no acompanhamento do desempenho escolar dos seus atletas.

Colaboramos ainda com duas associações que trabalham com os animais de rua da região, o Grupo de Proteção de Animais da Régua (GPAR) e a Associação de Salvamento e Proteção de Animal (ASPA). A nossa floresta é um exemplar do património histórico natural e a sua preservação é fundamental, sendo também apoiada pelo nosso fundo.



Six Senses Douro Valley


UP: Querem falar-nos um bocadinho sobre as vossas hortas biológicas?

Temos duas hortas no hotel, com aproximadamente 600 m2, sendo a promoção da biodiversidade o foco das mesmas. Produzimos vegetais, ervas aromáticas e alguns frutos, sendo que as ervas aromáticas representam a nossa maior produção. Atualmente produzimos cerca de 80% das nossas necessidades de ervas aromáticas. As hortas, tal como todo o espaço exterior, são conduzidas de modo ecológico, não fazendo uso de químicos de síntese, e promovendo o equilíbrio entre todos os intervenientes do ecossistema.


Six Senses Douro Valley


UP: Que experiências oferecem aos vossos hóspedes?

A Equipa de Experiências no Six Senses Douro Valley pode apresentar várias opções: organizar uma viagem a locais de arte pré-histórica no Vale do Côa e aos parques do Alvão e do Douro; visitas a algumas das quintas mais antigas do mundo; passeios a pé ou de carro em vilas pitorescas; visitas a igrejas históricas e castelos; cruzeiros e atividades aquáticas no rio.

O conjunto de atividades que oferecemos é bem diversificado, proporcionando uma experiência única. Desde a pintura de azulejos, uma arte tão tradicional portuguesa, com a nossa artista residente, aos workshops de fermentação no Earth Lab, à visita à horta e ainda a oportunidade de ser jardineiro por 1h. Caminhadas pela mata, recentemente classificada como jardim histórico de Portugal. Proporcionamos ainda diversas atividades desportivas e de bem-estar, como pilates, treino funcional, yoga e meditação. No Alchemy bar há toda uma experiência sensorial e oportunidade de aprender a fazer alguns produtos de beleza. Numa região de vitivinícola, claro que não poderiam faltar as provas de vinhos!



Six Senses Douro Valley


UP: As refeições são vegan friendly?

Temos opções vegan nos menus de todos os restaurantes do hotel. Temos também, entre Maio e Outubro o restaurante PICKLES onde temos uma carta unicamente baseada em vegetais e legumes da época.


Six Senses Douro Valley


UP: Para terminar, onde está localizado e onde podemos encontrar mais informações sobre o Six Senses Douro Valley?

Para ter sempre as informações atualizadas o melhor será ir ao nosso website ou visitar as nossas redes sociais (Facebook ou Instagram).


Six Senses Douro Valley


Six Senses Douro Valley

Subscrever a Newsletter

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.