O projeto Fruta Feia evitou que, nos últimos seis anos, 2000 toneladas de frutas e legumes “feios” fossem para o lixo devido à sua aparência.

Cabazes da Fruta Feia

O projeto Fruta Feia evitou que, nos últimos seis anos, 2000 toneladas de frutas e legumes “feios” fossem para o lixo devido à sua aparência.
O projeto entregou também a cerca de 235 agricultores parceiros cerca de um milhão de euros.

Contrariar o desperdício alimentar é também poupar os recursos naturais, o solo, a água e a mão de obra usados na produção destes alimentos.

A cooperativa Fruta Feia resulta de uma ideia de Isabel Soares e aproveita cerca de um terço da fruta e legumes que os supermercados desperdiçam por não terem o aspeto “bonito” que os consumidores procuram. “Gente bonita come fruta feia” é o lema deste projeto.

Quando surgiu, em 2013, a Fruta Feia abastecia 120 consumidores e salvava do lixo, por semana, cerca de 400 kg. Seis anos depois, conta já com 235 agricultores, tira do lixo semanalmente 15 000 kg, tem 5500 associados e uma lista de espera de 15 mil pessoas.

A Fruta Feia distribui à segunda-feira cabazes nos Anjos, Matosinhos e Telheiras, à terça-feira no Rato, Almada e Gaia, na quarta-feira na Amadora, Campo Santa Clara e Porto e à quinta-feira na Parede e em Braga.

Os cabazes são compostas por frutas e legumes e podem ser pequenos (3/4kg, cinco a sete variedades) que custam 3,5€ ou grandes (6/8kg, sete a nove variedades), que custam 7€. Os cabazes variam de semana a semana e de acordo com a altura do ano.

Vídeo de animação da Fruta Feia

Como combater o desperdício alimentar devido à aparência? Espreitem o nosso vídeo de animação!

Publicado por Fruta Feia em Sexta-feira, 14 de julho de 2017

Subscrever a Newsletter

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.