A organização quer que as crianças estejam em contacto com a natureza durante pelo menos uma hora do dia escolar.



As crianças deviam passar pelo menos uma hora por dia a brincar e a aprender em espaços naturais. Esta é a recomendação da organização britânica Wildlife Trusts, após um estudo do Instituto de Educação da University College de Londres (UCL) ter apontado os benefícios das atividades ao ar livre para o bem-estar dos mais pequenos.

A Wildlife Trusts, que representa 46 associações e 2300 reservas naturais do Reino Unido, apelou ao governo britânico para a criação de uma rede de espaços naturais onde as crianças possam estar em contacto com o mundo natural e aprender sobre a vida selvagem durante o dia letivo.

De acordo com a organização, este tempo escolar ao ar livre deve ser usado para aprofundar a ligação dos mais novos à natureza e para realizar atividades, como identificar árvores e plantas, procurar girinos num lago, subir a árvores, construir casas para insetos ou até uma cabana com ramos.

“Pedimos ao governo para reconhecer os inúmeros benefícios da natureza para as crianças – e para garantir que pelo menos uma hora do dia escolar seja passada ao ar livre, a aprender e a brincar em lugares naturais”, disse Nigel Doar, da Wildlife Trusts.



Participaram no estudo 451 crianças britânicas, que foram entrevistadas pelos investigadores da UCL antes e depois de participarem em atividades organizadas por uma Wildlife Trust. Os professores e educadores da Wildlife Trust também foram entrevistados.

A esmagadora maioria das crianças afirmou que tinha aprendido algo sobre o mundo natural e que tinha uma melhor relação com os seus colegas e professores depois de passar tempo ao ar livre.

79% afirmaram que a experiência poderia ajudá-los com os seus trabalhos escolares, 84% sentiram que eram capazes de fazer coisas novas e cerca de 80% afirmaram que se sentiam mais confiantes e mais relaxados. 78% também manifestaram o desejo de passar mais tempo na natureza.

“Este trabalho de investigação mostra que as crianças obtêm benefícios profundos e diversificados através do contacto regular com a natureza. O contacto com a natureza aumenta o bem-estar, a motivação e a confiança dos mais novos. Os dados também realçam como as experiências das crianças com o mundo natural levaram a melhores relações com os seus professores e colegas”, disse Nigel Doar.

Segundo uma sondagem da empresa YouGov realizada em 2015, 37% das crianças britânicas inquiridas nunca tinham visto um ouriço-cacheiro e a maioria nunca tinha descoberto girinos num lago.

“Cada geração parece ter menos contacto com a natureza do que a anterior. Devemos a todos os jovens a reversão desta tendência – para bem deles, por nós e para bem da natureza”, disse Michael Reiss, professor da UCL.

Subscrever a Newsletter

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.