Estes modelos artificiais foram criados para evitar que milhões de rãs sejam mortas para serem dissecadas.

Modelo realista de rã

Em parceria com a PETA, a empresa SynDaver criou os SynFrogs – modelos artificiais de rãs, realistas e detalhados – para substituir os animais utilizados nos exercícios de dissecação praticados em algumas escolas.

Cada um destes modelos possui órgãos removíveis, que imitam os de uma rã verdadeira, incluindo um sistema reprodutor com ovos. No final dos exercícios, as peças do modelo voltam a ser organizadas, deixando-o pronto a ser reutilizado.

Ao contrário das rãs preservadas para serem dissecadas, os SynFrogs estão isentos de substâncias químicas potencialmente perigosas, como o formaldeído.


Foto: SynDaver

“Temos o prazer de apresentar o nosso revolucionário SynFrog, que é um instrumento pedagógico muito superior, já que é concebido para imitar os tecidos vivos. Isto torna-o mais semelhante a uma rã viva do que os espécimes preservados, que são vendidos às escolas para as aulas de dissecação”, disse Christopher Sakezles, fundador e CEO da SynDaver.

“Os SynFrogs não só parecem rãs verdadeiras, como é mais seguro dissecá-los do que a uma rã preservada, uma vez que não contêm substâncias químicas potencialmente perigosas”, explicou. “Queremos agradecer à PETA pelo apoio financeiro, que ajudou na fase de desenvolvimento inicial do produto e nos permitiu finalizá-lo mais rápido do que prevíamos.”


Foto: SynDaver

De acordo com a PETA, todos os anos, milhões de animais são mortos para serem utilizados em aulas de dissecação.

A Escola Secundária de J. W. Mitchell, na Florida, foi a primeira instituição de ensino a utilizar estes modelos, numa atividade em que participaram 100 alunos.

Embora cada SynFrog custe cerca de 150 dólares e as rãs preservadas para dissecação se encontrem à venda por menos de 10 dólares, a SynDaver lembra que os seus modelos podem ser reutilizados incontáveis vezes.


Foto: SynDaver

“A PETA já promove a dissecação virtual há anos, mas alguns professores ainda requisitam instrumentos de ensino prático – e é aí que surge o SynFrog”, afirmou Shalin Gala, da PETA.

“Estamos ansiosos que as escolas de todo o mundo adotem esta tecnologia de ponta, que salvará milhões de rãs e será um instrumento de ensino muito mais eficaz e seguro.”

Os professores que tiverem interesse em utilizar SynFrogs podem contactar a PETA ou a SynDaver para mais informações.

Subscrever a Newsletter

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.