Milhões de borboletas-monarcas morrem em colisões com veículos nas autoestradas, durante a sua migração outonal.



Durante a sua migração outonal até ao México, milhões de borboletas-monarcas morrem em colisões com veículos nas autoestradas do estado norte-americano do Texas.

Nos últimos 23 anos, os números destes insetos caíram cerca de 82%, e os conservacionistas temem que as mortes nas estradas também possam contribuir para o seu declínio.

No outono, algumas borboletas-monarcas chegam a viajar 3000 milhas (4800 km) até ao México. Na primavera, fazem a viagem de regresso de forma a colocar os ovos nas plantas de que as suas lagartas se alimentam exclusivamente, as asclépias. Esta é a migração de insetos mais longa do mundo.

Em estudos anteriores, os investigadores da Texas A&M University descobriram que a passagem das borboletas-monarcas por estradas durante a migração de Oklahoma até ao México resultava na morte de cerca de 2-4% da população.


As asas da borboleta-monarca (Danaus plexippus) apresentam um padrão de cor laranja com nervuras pretas e algumas marcas brancas.

Face a este situação, várias organizações e instituições do Texas estão a trabalhar para determinar a dimensão do problema e os locais de maior incidência. “Nos próximos dois anos, realizaremos quatro pesquisas sazonais das estradas do Texas”, disse Robert Coulson, professor do Departamento de Entomologia da Universidade.

Um destes levantamentos teve início em outubro e continuará ao longo do mês de novembro. Os dados recolhidos serão usados para avaliar o impacto do problema e para desenvolver estratégias de mitigação que possam ser implementadas pelo Departamento dos Transportes do Texas para reduzir a mortalidade destes animais.
1ª foto: Kaitlin Lopez / Departmento de Entomologia da Texas A&M University

Subscrever a Newsletter

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.