O governo chinês vai remover os medicamentos com escamas de pangolim da lista de medicamentos reembolsáveis pela segurança social.

Pangolim

O governo chinês anunciou que vai remover as “decocções” de pangolim da lista de medicamentos reembolsáveis pela segurança social.

As escamas de pangolim são usadas na medicina tradicional chinesa para supostamente tratar uma variedade de problemas de saúde, desde artrite a dificuldades na amamentação.

A procura por estas escamas está a colocar em risco todas as oito espécies de pangolim. Em fevereiro, as autoridades de Hong Kong apreenderam oito toneladas de escamas deste pequeno mamífero ameaçado de extinção.

Juntamente com os remédios de pangolim, o governo também removerá da lista de medicamentos reembolsáveis outros produtos de espécies selvagens, incluindo os de tartaruga-de-escamas, cavalo-marinho, coral e os chifres de antílope saiga.

Embora o comércio internacional de pangolins asiáticos e africanos esteja proibido desde 2000 e 2017, respetivamente, a China continua a permitir a sua venda, insistindo que as escamas provêm de reservas armazenadas antes de as proibições terem entrado em vigor.

Segundo a National Geographic, o país também poderá estar a considerar transferir os pangolins da Classe II para a Classe I na sua legislação de proteção de espécies selvagens. Isto significaria que a venda e utilização de pangolins e dos seus produtos só seriam permitidas em determinadas circunstâncias, como para investigação científica.
Foto: David Brossard/Flickr


Subscrever a Newsletter

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.