Chegou ao fim um programa de investigação nos Estado Unidos que causou a morte de mais de 3000 gatos.

Gato

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA, na sigla em inglês) anunciou que vai acabar com uma experiência científica controversa que levou à morte de milhares de gatos desde 1982.

O laboratório do Serviço de Investigação Agrícola do USDA infetava gatos com toxoplasmose, uma doença causada pelo parasita Toxoplasma gondii. Depois de os cientistas colherem os ovos do parasita excretados nas fezes dos gatos, os animais eram eutanasiados.

Num comunicado, o USDA disse que “a investigação sobre a toxoplasmose foi redirecionada e a utilização de gatos como parte de qualquer protocolo de investigação nos nossos laboratórios foi descontinuada e não será retomada”.

Os 14 gatos sobreviventes serão adotados por funcionários do Departamento de Agricultura.

A decisão de acabar com este programa de investigação surge duas semanas após um estudo da organização White Coat Waste Project ter acusado os cientistas destes laboratórios de “comprarem centenas de cães e gatos em ‘mercados de carne asiáticos’, de os eutanasiarem e de os darem a comer a gatos saudáveis no seu laboratório de Maryland”, conta a NBC News. O objetivo desta experiência seria a investigação da prevalência da toxoplasmose no mundo.

Segundo os autores do estudo, estas experiências macabras, que forçavam animais a comer outros da mesma espécie, mostram que o departamento se tinha desviado da sua missão original.

“Depois de mais de 3000 gatos terem sido mortos e de 22 milhões de dólares terem sido esbanjados, aplaudimos o USDA pela sua sábia decisão de colocar um fim definitivo aos seus testes em gatos financiados pelos contribuintes e de dar para adoção os sobreviventes”, disse Anthony Bellotti, fundador do White Coat Waste Project.

“Apresento os meus cumprimentos ao USDA pela sua decisão de acabar com este tipo de teste em gatos. Eles escutaram as pessoas e responderam de maneira apropriada às nossas preocupações. É assim que as nossas instituições, o nosso governo e a nossa democracia devem e têm de trabalhar”, declarou o deputado democrata Jimmy Panetta.

Nos seres humanos, a toxoplasmose pode ser contraída, por exemplo, por meio da ingestão de alimentos contaminados, como a carne insuficientemente cozinhada. Geralmente, a doença caracteriza-se por sintomas ligeiros e passageiros, semelhantes aos da gripe; contudo, pode tornar-se mais grave em pessoas com o sistema imunitário debilitado. Quando contraída durante a gravidez, pode provocar malformações no feto ou a morte do mesmo.


Subscrever a Newsletter

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.