Um estudo da Plataforma Transgénicos Fora revelou que todas as pessoas que em outubro fizeram análises à presença de glifosato na urina estavam contaminadas.

Glifosato

Um estudo da Plataforma Transgénicos Fora revelou que todas as pessoas que em outubro fizeram análises à presença de glifosato na urina estavam contaminadas.

O glifosato foi classificado em 2015 pela Organização Mundial de Saúde como "carcinogéneo provável para o ser humano".

Margarida Silva, da Plataforma Transgénicos Fora, considera que a contaminação é "crónica", uma vez que "Portugal está acima da média dos 18 países da União Europeia, onde as amostrar contaminadas são 50%".

Na sequência deste estudo, os responsáveis pela Plataforma Transgénicos Fora fazem um apelo ao Governo para que proíba a venda de herbicidas à base de glifosato e lance um estudo abrangente sobre a exposição dos portugueses. A Plataforma quer análises obrigatórias para detetar glifosato na água de consumo, o fim do uso de herbicidas sintéticos na limpeza urbana e pede ao Governo apoio aos agricultores na transição para uma agricultura pós-glifosato nos próximos anos.

Em Portugal, uma lei de 2017 proíbe a aplicação de glifosato em vários espaços públicos.

Das 308 câmaras em Portugal, apenas 13 integram a campanha Autarquias sem Glifosato: Alcanena, Aveiro, Braga, Cabeceiras de Basto, Castelo de Paiva, Castro Verde, Funchal, Lousada, Porto, São Vicente, São Pedro do Sul, Vila Real e Vila Nova de Paiva.

O estudo pode ser consultado aqui.

Subscrever a Newsletter

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.