A Malásia é uma das nações que mais plástico importa em todo o globo, recebendo o lixo que os outros países não desejam.

Lixo na Malásia

POR JORGE SÁ | 21 de fevereiro de 2019, 21:00

A Malásia é uma das nações que mais plástico importa em todo o globo, recebendo o lixo que os outros países não desejam. Mas há uma pequena cidade, Jenjarom, que está a pagar o preço de estar mergulhada em 17 mil toneladas de lixo.

Em 2017, as autoridades chinesas decidiram deixar de importar plástico oriundo de outras nações. Em apenas um ano, o país liderado por Xi Jinping tinha recebido, aproximadamente, sete milhões de toneladas de plástico.

Sem lugar no maior país da Ásia Oriental, o lixo, na sua maioria proveniente do Japão, Reino Unido ou dos Estados Unidos da América, foi encaminhado para a Malásia e Jenjarom foi a eleita para receber o presente envenenado.

A proximidade com o porto de Klang, no estreito de Malaca, fez de Jenjarom o local ideal. Segundo números da BBC, só entre fevereiro e julho de 2018, Jenjarom recebeu 754 mil toneladas de lixo.

A desmedida quantidade de lixo que, de um momento para o outro, apareceu naquela cidade foi recebida como uma oportunidade de negócio e foi o ponto de partida para a eclosão de várias fábricas ilegais de reciclagem. Só naquele distrito, de acordo com dados das autoridades locais, eclodiram 33.
As autoridades já terão encerrado algumas fábricas ilegais. Não obstante, 17 mil toneladas de plástico permanecem lá.

Lixo na Malásia

Lixo na Malásia

Lixo na Malásia

Fotos: EPA

Subscrever a Newsletter

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.