Legisladores e conservacionistas havaianos querem proibir o abate de tubarões nas águas do estado norte-americano.

Tubarão-de-pontas-negras-do-recife

A captura, maus-tratos e abate intencionais de tubarões nas águas do Havai podem passar a ser ilegais, se a proposta de dois legisladores havaianos – que está a conquistar cada vez mais apoiantes – for aprovada.

A legislação protegeria todas as espécies de tubarões e de raias, em vez de apenas algumas, e seria a primeira do género nos Estados Unidos.

Como predadores de topo, os tubarões (…) ajudam a manter o ecossistema marinho em equilíbrio. Protegê-los de danos desnecessários é vital para a saúde dos nossos recifes de coral. Espero que este seja o ano em que sejamos capazes de dar este passo importante”, disse a deputada Nicole Lowen.

Os tubarões controlam as populações de presas e também contribuem para a manutenção da saúde dos oceanos, ao comerem os animais doentes ou enfraquecidos. “Eles são o sistema imunitário do oceano”, disse Ocean Ramsey, bióloga marinha.

A legislação preveria exceções para práticas culturais, para fins de investigação científica e para a proteção da segurança pública. As multas variariam entre 500 dólares (cerca 440 euros) para uma primeira infração e 10 mil dólares para uma terceira transgressão.

As ameaças que os tubarões enfrentam são várias. O comércio de barbatanas de tubarão é uma delas. Na China, a sopa de barbatana de tubarão é um prato muito popular nos banquetes e casamentos e também um símbolo de status para a classe média. Todos os anos, cerca de 100 milhões destes animais são mortos e as barbatanas de até 73 milhões acabam como ingrediente desta sopa.

“Estes animais já por cá andam há cerca de 450 milhões de anos, e durante o meu tempo de vida tantas [das suas espécies] ficarão extintas”, disse Ocean Ramsey. “Quero que isto pare. Não é justo para eles e não é justo para as gerações futuras.”
Foto: Tubarão-de-pontas-negras-do-recife (Carcharhinus melanopterus) | Klaus Stiefel/Flickr

Subscrever a Newsletter

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.