Os supermercados terão de disponibilizar alternativas aos clientes, como sacos de tecido ou de papel.

Sacos de compras de plástico

O governo sul-coreano proibiu o uso de sacos de plástico descartáveis nos supermercados do país.

A proibição entrou em vigor no dia 1 de janeiro de 2019, como parte de uma lei revista que promove a conservação dos recursos naturais e a gestão dos resíduos recicláveis, e afeta 2000 hipermercados e 11 mil supermercados.

Os estabelecimentos comerciais têm agora de disponibilizar aos clientes alternativas aos sacos de plástico de uso único que possam ser reutilizadas ou recicladas, como sacos de tecido ou de papel. Para o acondicionamento de produtos húmidos, como carne e peixe, os sacos de plástico continuarão a ser permitidos.

As multas para quem não respeitar a proibição podem chegar aos 3 milhões de won (2300€).

A lei revista também proíbe cerca de 18 mil padarias de disponibilizarem sacos de plástico de uso único gratuitos.

A somar a estas medidas, o ministério do Ambiente da Coreia do Sul anunciou que orientará esforços para reduzir o uso de outros itens descartáveis de plástico, como as palhinhas.

O Fórum Económico Mundial estima que existem cerca de 150 milhões de toneladas de plástico nos oceanos. Segundo um estudo da Fundação Ellen MacArthur, se nada mudar, em 2050 haverá mais plástico do que peixes (em peso) no oceano.

Para combater esta poluição, cada vez mais países têm vindo a proibir os artigos de plástico de uso único. Alguns dos mais recentes a juntarem-se a esta lista foram o Peru e a Jamaica.

Um estudo publicado em 2018 revelou uma queda de 30% no número de sacos de plástico descobertos no leito marinho no norte da Europa, o que os cientistas associaram à introdução generalizada de taxas e restrições ao uso destes artigos.

Subscrever a Newsletter

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.