A ilha de Bali deu um passo para proteger a saúde dos seus ecossistemas, proibindo os artigos de plástico de uso único.

Plástico no mar

A ilha de Bali, um popular destino turístico na Indonésia, deu um grande passo para combater a poluição das suas águas, proibindo os artigos de plástico de uso único, como os sacos de compras, a espuma de poliestireno (esferovite) e as palhinhas.

O governador de Bali, Wayan Koster, anunciou a proibição no final de dezembro e manifestou a esperança de que a medida leve a uma redução de 70% nos plásticos marinhos da ilha, no prazo de um ano.

“Esta política é dirigida aos produtores, distribuidores, fornecedores e agentes empresariais, incluindo particulares, de forma a refrear-se a utilização de plásticos de uso único. Eles têm de substituir os plásticos por outros materiais”, declarou o governador, explicando que quem não cumprir a proibição será penalizado com sanções administrativas. A medida prevê um período de carência de seis meses.

“Se eles desobedecerem, tomaremos medidas, como não renovar a sua autorização para o exercício de atividades económicas”, disse Wayan Koster, citado pelo jornal Jakarta Post.

Segundo este jornal, os especialistas calcularam que até 80% do lixo nas praias de Bali é originário da própria ilha. O lixo é frequentemente despejado nos rios, acabando por regressar às suas praias.

Estima-se que os oceanos recebam pelo menos oito milhões de toneladas de plástico todos os anos, o que está a afetar inúmeras espécies de animais marinhos e terrestres.

Com esta proibição, Bali juntou-se a uma lista crescente de países e localidades que já adotaram medidas semelhantes, da qual fazem parte a Coreia do Sul, o Peru e a Jamaica.
Foto: Marine Megafauna Foundation


Subscrever a Newsletter

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.