Miguel Freitas, secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, afirmou que apesar de existirem 270 mil hectares dedicados à agricultora biológica, Portugal importa 50% dos produtos biológicos que consome.

Tangerineira

Miguel Freitas, secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, afirmou que apesar de existirem 270 mil hectares dedicados à agricultora biológica, Portugal importa 50% dos produtos biológicos que consome.

“Estamos a importar cerca de 50% de tudo aquilo que consumimos em matéria de agricultura biológica. É tempo de perceber que o mercado está ansioso de ter este tipo de produção e a indústria também percebeu que tem aqui um nicho”, afirmou Miguel Freitas à Lusa.

“Nós [Portugal] temos neste momento 270 mil hectares de agricultora biológica. O apoio à agricultura foi importante, essencialmente no apoio a sistemas de produção agrícola, nomeadamente pastagens e forragens, onde temos cerca de 200 mil hectares, no olival 30 mil e nas frutas e legumes cinco mil.”

“Na verdade, com estes 270 mil hectares, nós ainda não somos capazes de ter muitos produtos de agricultura biológica no mercado. E, portanto, é esse o resultado que esperamos e vamos refletir com os agentes do setor como é que podemos dar este passo da lógica do apoio à produção para a lógica da geração de valor através do mercado. Esse é um passo muito importante que estamos a fazer.”

O secretário de Estado explicou que existe um plano de ação em execução que tem a dimensão de apoio à produção, de perspetiva de mercado e de formação e capacitação dos agentes.

Em 2017, foi criado o Centro de Competências da Agricultura Biológica e dos Produtos no Modo de Produção Biológico cuja sede é em Serpa, envolvendo vários municípios, universidades, a Agrobio e vários parceiros da agricultura biológica. Foi também criado o Observatório de Agricultura Biológica, um centro de recolha de dados, de livre acesso, de informação e de produção de estudos.

Subscrever a Newsletter

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.