As lojas de animais da cidade de Atlanta, nos EUA, já não podem vender gatos e cães.

Cão e gato

As lojas de animais da cidade de Atlanta, no estado norte-americano de Georgia, já não podem vender gatos e cães.

A nova lei pretende desincentivar as operações de criação comercial de cães e gatos em larga escala, conhecidas como puppy e kitten mills, frequentemente acusadas de criarem os animais em “condições desumanas”.

As lojas da cidade poderão acomodar e oferecer animais para adoção, se estes tiverem mais de oito semanas de idade e estiverem a cargo de um abrigo ou associação de resgate de animais.

Atlanta é a nona cidade do estado da Georgia a proibir a venda de cães e gatos em lojas de animais. No total, mais de 250 localidades dos Estados Unidos já adotaram medidas semelhantes.

“As lojas de animais têm sido as principais vendedoras de cachorros provenientes das cruéis puppy mills”, disse Jennifer Hobgood, da Sociedade Americana para a Prevenção da Crueldade contra os Animais (ASPCA, na sigla em inglês), organização que aplaudiu a medida.

“Os cães [das puppy mills] costumam ser mantidos em lugares sobrelotados, em condições sanitárias precárias, sem acesso adequado a comida, água, cuidados veterinários ou socialização. Como resultado, muitos deles sofrem de graves problemas de saúde e de comportamento”, explica a ASPCA.

As lojas que infringirem a nova lei poderão ver-se obrigadas a pagar multas de mais de 400 euros.

Subscrever a Newsletter

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.