Comece a "destralhar" com o desafio que o UniPlanet tem para si. Durante o próximo mês, livre-se, todos os dias, de uma coisa que não usa.

Secretária

Todos nós temos coisas e objetos que já não utilizamos e que ficam parados a apanhar pó nas nossas casas. Prendas que nos ofereceram e às quais não sabemos o que fazer, roupa que já não nos serve, livros que não lemos, computadores avariados, produtos que compramos por impulso ou para aproveitar uma promoção, etc.

As coisas que vamos acumulando com o passar dos anos também afetam o nosso bem-estar, já que as tralhas podem causar stress e caos.

Quando temos a casa cheia de coisas, a ideia de começar a “destralhar” pode ser um pouco intimidante. Mas desistir não é a resposta. Podemos começar com pequenas ações: cinco minutos diários podem fazer uma grande diferença a longo prazo.

Uma casa organizada pode impulsionar a nossa produtividade. Por outro lado, destralhar também nos dá mais espaço para relaxar, trabalhar e dançar pela casa.

Além do mais, livrarmo-nos do que não nos dá alegria significa que ficamos apenas com as coisas de que gostamos mesmo.

Plantas

1 mês, uma coisa por dia

Chegamos assim ao nosso desafio: durante os próximos 30 dias, livre-se de pelo menos uma coisa por dia.
Sempre que encontrar um objeto “candidato”, pergunte-se se este lhe traz alegria ou se é verdadeiramente necessário. Se a resposta a uma destas perguntas for afirmativa, guarde-o. Se não, livre-se dele. Pode doá-lo, trocá-lo com um amigo, oferecê-lo, vendê-lo ou, em último caso, deitá-lo fora.

Ao destralhar todos os dias, esta prática acaba por se tornar parte da sua rotina e, a não ser que já seja um minimalista, encontrar um artigo será uma tarefa fácil que não consumirá muito tempo.

Quando descobrir um artigo do qual não está preparado para se separar, ponha-o de parte. “Ao arrumar os artigos sem valor sentimental primeiro, dar-se-á tempo para pôr em ordem os seus pensamentos e emoções antes de passar aos objetos com valor sentimental que colocou de parte”, explica Marie Kondo, autora do best-seller “Arrume a Sua Casa, Arrume a Sua Vida”.

Mesa com candeeiro

“Este mês, tive um momento ‘eureka’”, contou a autora do blog Waffles On Wednesday, que resolveu participar neste desafio. “Apercebi-me de que temos muitas coisas. E muitas coisas inúteis, pelo menos no nosso caso. E estas coisas inúteis ocupam mesmo assim espaço e desgastam-nos mentalmente, ao pensarmos que precisamos de fazer alguma coisa em relação a elas.”

“Ao me concentrar apenas num artigo por dia, a tarefa nunca me pareceu demasiado difícil. Com o passar do tempo, estas pequenas mudanças começaram a somar-se e a fazer uma verdadeira diferença.”

Quando estiver sem ideias, experimente inspecionar as suas gavetas. “É fácil passar revista ao que está à vista, mas para encontrarmos as coisas mais difíceis temos de procurar em todos os cantos e recantos da casa. Especialmente nas gavetas e nos armários, onde as coisas se podem esconder. Somos bons a esquecermo-nos das coisas que não conseguimos ver”, sugeriu o blogger J. Money, ou Jay.

“Não seja muito duro consigo mesmo se, aqui e ali, existirem alguns itens com os quais está a ter dificuldades – é normal!”, disse Jay. “Por vezes são precisas algumas tentativas – ou até mesmo anos – para que, finalmente, nos sintamos à vontade para decidir o que fazer a algo.”

Estante

Aprendendo sempre

O objetivo do desafio é aprendermos mais sobre nós, sobre os nossos hábitos diários de consumo e de acumulação de pertences, e, em última análise, encorajar a mudança dos mesmos. Afinal de contas, a produção das coisas que compramos e que acabam, muitas vezes, por ter vidas úteis curtas requer a extração e utilização de recursos naturais finitos e tem um impacto sério no ambiente. “A maioria dos problemas ambientais pode ser associada ao consumo”, disse Gary Gardner, investigador do Instituto Worldwatch.

Se se quiser juntar a nós e participar no desafio, gostaríamos muito de ouvir a sua experiência! Partilhe-a connosco nos comentários ou então publique-a no seu blog ou nas redes sociais, juntamente com uma lista dos objetos de que se livrou (opcional), e não se esqueça de identificar o UniPlanet na publicação.

Se tiver gostado da experiência, pode sempre tornar este desafio numa rotina diária, bem depois de os 30 dias terem passado.

“Encontrar apenas uma coisa por dia para nos livramos dela é muito exequível. E se conseguir fazê-lo ao longo de 30 dias, sou capaz de apostar que o consegue fazer durante um ano inteiro e talvez até torná-lo num hábito, o que é o objetivo final”, disse Jay.


Subscrever a Newsletter

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.