Uma sondagem de opinião revelou que a maioria dos europeus é contra o uso de animais selvagens nos circos.

Cria de tigre numa jaula

A maioria dos europeus condena o uso de animais selvagens nos circos, revelou uma sondagem de opinião realizada pela YouGov para a organização holandesa Animal Advocacy and Protection (AAP).

Em média, 65% dos quase 12 mil cidadãos europeus inquiridos afirmaram ser contra esta prática. Apenas 22% se mostraram a favor da mesma.

“A sondagem confirma aquilo que já todos sabíamos instintivamente: a maioria dos europeus está mais do que pronta para um novo tipo de entretenimento que não envolva maus-tratos aos animais selvagens”, disse David van Gennep, diretor-geral da AAP.

Na Alemanha, 63% dos inquiridos defenderam que a presença de animais selvagens nos circos europeus não deveria ser permitida. Na Itália, foram 71% os inquiridos com a mesma opinião, em Espanha 73%, e no Reino Unido 76%.

Apesar desta oposição, os circos com animais selvagens ainda continuam a ser permitidos nestes países, ao contrário do que já se verifica em 17 outros Estados-membros da União Europeia.

Na sequência de um acidente rodoviário de um camião do circo que vitimou um elefante e deixou outros dois feridos com gravidade, a coligação espanhola de organizações de proteção dos animais e da vida selvagem InfoCircos lançou uma petição que pede a proibição do uso de animais selvagens nos circos na UE. A petição já conseguiu mais de 600 mil assinaturas.

Urso com açaime anda na corda bamba no circo
Foto: Animals Asia

“Para além das considerações relativas ao bem-estar animal, os circos com animais selvagens representam uma grave ameaça para a saúde e a segurança públicas. Contudo, ainda lhes é permitido moverem-se livremente de um Estado-membro para o outro, mesmo nos países onde a legislação nacional não lhes permite atuar com os animais. Trata-se de um problema transfronteiriço dentro da União Europeia que requer uma solução por parte de Bruxelas”, defendeu Marta Merchán, coordenadora da InfoCircos.

De acordo com um relatório publicado pelo Eurogroup for Animals, foram registados, num período de 22 anos, pelo menos 305 incidentes que envolveram 608 animais selvagens na UE, ou uma média de 15 por ano, alguns dos quais fatais.

A organização AAP, que conta com dois centros de resgate de animais selvagens na Holanda e em Espanha, explica que recebe com frequência animais do circo e que viu os danos causados pela criação, treino, atuações e condições de vida dos mesmos.

“Tomemos como exemplo o caso de Nala, uma leoa resgatada de um criador ilegal de animais de circo na França”, disse David van Gennep. “Nos meus 40 anos de experiência no resgate de animais, nunca me tinha deparado com um caso semelhante. Uma das crias de leão que fomos resgatar estava em tão más condições que não havia nada que pudéssemos fazer para a salvar. O lugar estava num estado deplorável e não era seguro – e estava localizado à frente de um infantário!”

Só a União Europeia tem o poder para acabar com este problema de uma vez por todas e é hora de a Comissão Europeia reconhecer que os cidadãos europeus assim o desejam”, declarou o ativista.

ATENÇÃO: As imagens do vídeo que se segue podem chocar os leitores mais sensíveis.

1ª foto: PETA

Subscrever a Newsletter

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.