Com a ajuda de um drone, Johnny Miller decidiu mostrar as linhas que separam os ricos dos pobres à volta do mundo.

Projeto Cenas Desiguais

O projeto fotográfico de Johnny Miller, “Cenas Desiguais”, retrata a desigualdade na distribuição de riqueza ao redor do mundo.

Quando estava a tirar um mestrado em Antropologia na Universidade da Cidade do Cabo, na África do Sul, o fotógrafo americano ficou desconcertado com a desigualdade com que aí se deparou.

Projeto Cenas Desiguais
A urbanização informal de Kya Sands (direita), em Joanesburgo, África do Sul, faz fronteira com o zona residencial de classe média de Bloubosrand | Foto: Johnny Miller/Unequal Scenes

“A partir do minuto em que pomos os pés na Cidade do Cabo, ficamos rodeados de barracas”, contou ao site Mother Nature Network. “As barracas de lata rodeiam o aeroporto e são precisos 10 minutos para as deixarmos para trás e chegarmos aos bairros mais prósperos, onde as pessoas mais privilegiadas (incluindo eu) vivem. Este é o statu quo na Cidade do Cabo, na África do Sul, e em muitas partes do mundo – mas esse é um statu quo com o qual não concordo.”

Projeto Cenas Desiguais
Dois lados de um bairro em Santa Fé, na Cidade do México | Foto: Johnny Miller/Unequal Scenes

Com a ajuda de um drone, Johnny Miller decidiu mostrar esta realidade ao mundo e foi assim que nasceu o projeto “Unequal Scenes” (Cenas Desiguais). Depois da África do Sul, o fotógrafo continuou a explorar os contrastes e as linhas que separam os ricos dos pobres em muitos outros países, incluindo o México, a Tanzânia, a Índia e o Quénia.

Projeto Cenas Desiguais
O verde do Clube de Golfe de Papwa Sewgolum, na África do Sul, contrasta marcadamente com o bairro de lata ao seu lado | Foto: Johnny Miller/Unequal Scenes

“As imagens que eu considero as mais poderosas são as tiradas quando a câmara está a apontar diretamente para baixo, olhando para as fronteiras entre os ricos e os pobres”, explicou.

“Às vezes, [esta fronteira] é uma vedação, por vezes é uma estrada ou até um pântano, sendo que de um lado há pequenas barracas ou habitações pobres e do outro casas maiores ou mansões. Há qualquer coisa na composição destas fotografias que as torna extremamente intensas para as pessoas. Acho que tornam a desigualdade relevante – as pessoas podem ver-se refletidas nas imagens e é profundamente inquietante.”

Projeto Cenas Desiguais
Os arranha-céus de Bombaim, na Índia, contrastam com os bairros degradados ao seu lado | Foto: Johnny Miller/Unequal Scenes

A escolha das cenas envolve a investigação e identificação dos potenciais locais com base em dados de censos, mapas, reportagens e até conversas, conta Miller. O fotógrafo espera que o seu projeto desperte reações e promova debates sobre a desigualdade.

“Vi este trabalho dar início a diálogos entre todo o tipo de pessoas – com ou sem estudos, ricos ou pobres, de todas as cores e géneros. Era isto mesmo que eu queria e desejava que acontecesse – que as fotos fossem discutidas e que através dessas conversas pudéssemos começar a compreender a dimensão do problema, e que através desse entendimento pudéssemos desenvolver soluções.”

Projeto Cenas Desiguais
Um pântano separa um bairro de lata de um bairro próspero na Cidade do Cabo, na África do Sul | Foto: Johnny Miller/Unequal Scenes

Projeto Cenas Desiguais
Este bairro residencial em Nairobi, no Quénia, faz fronteira com um bairro de lata | Foto: Johnny Miller/Unequal Scenes


Subscrever a Newsletter

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.