Justiça suspendeu produtos com glifosato e outros agroquímicos durante 30 dias, no Brasil.

Glifosato

No Brasil, a juíza federal substituta da 7ª Vara do Distrito Federal, Luciana Raquel Tolentino de Moura, determinou que a União não pode conceder novos registos de produtos que contenham como ingredientes ativos o glifosato, tiram e abamectina, durante 30 dias, até que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária conclua os procedimentos de reavaliação toxicológica, de acordo com a Reuters.

Esta decisão envolve a empresa Monsanto, que comercializa soja transgénica resistente ao herbicida glifosato, plantada em grande escala no Brasil, o maior exportador de soja. No Brasil também é permitido o milho e o algodão resistentes ao glifosato.

Subscrever a Newsletter

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.