O movimento #bodypositive das redes sociais quer acabar com os estereótipos de uma beleza padronizada e celebrar a diversidade.

Menina com sardas

A sociedade está cheia de preconceitos em relação ao corpo das mulheres, que deve ser magro, perfeito, com curvas e jovem.

O movimento #bodypositive das redes sociais quer acabar com os estereótipos de uma beleza padronizada e celebrar a diversidade: os corpos reais com celulite, com quilos a mais, com sardas, com estrias, com rugas, sem curvas, baixos, altos, com ancas largas, etc. A “positividade corporal” defende que devemos amar o nosso corpo como ele é.

Já é tempo de parar a ditadura imposta pela moda, pelas dietas, pelas estrelas de Hollywood, pelas cirurgias plásticas e pelos anúncios de produtos de beleza que só levam a depressões, a cenas de bullying nas escolas, a distúrbios alimentares e até a suicídios.

O movimento #bodypositive tem tido um papel importante na celebração da diversidade, na definição de uma beleza mais inclusiva, na promoção da autoestima e no empoderamento das mulheres.

Estátua de mulher obesa


Subscrever a Newsletter

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.