Sabia que as árvores falam umas com as outras, partilham recursos e sabotam os seus rivais? Conheça a vida secreta das árvores.

ilustração de uma pessoa a passear num bosque rodeada de árvores

As árvores podem parecer indivíduos solitários, mas o solo sob os nossos pés conta uma história bem diferente. Elas estão secretamente a conversar, a negociar e a travar guerras umas com as outras.

Fazem-no utilizando uma rede de fungos que cresce ao redor e dentro das suas raízes. Os fungos fornecem às árvores nutrientes e, em troca, recebem açúcares.

Mas os cientistas descobriram que esta relação é muito mais profunda do que pensávamos. Ao se ligarem a esta rede de fungos, as árvores podem partilhar recursos umas com as outras. Este sistema foi apelidado de “Wood Wide Web”.

Pensa-se que as árvores mais velhas, carinhosamente conhecidas como árvores-mãe, utilizam esta rede de fungos para fornecer açúcares às plântulas que se encontram à sombra, proporcionando-lhes assim uma melhor possibilidade de sobrevivência.



As árvores que estão doentes ou a morrer podem despejar os seus recursos na rede e estes poderão assim ser usados por vizinhos mais saudáveis.

As plantas também usam os fungos para enviar mensagens umas às outras. Se são atacadas, elas podem libertar sinais químicos através das suas raízes que avisam as suas vizinhas de que devem aumentar as suas defesas.

Contudo, assim como acontece na nossa internet, a “Wood Wide Web” também tem o seu lado obscuro.

Algumas orquídeas utilizam o sistema para roubar recursos de árvores vizinhas. Outras espécies, como a nogueira-preta, libertam químicos tóxicos, através da rede, para sabotar os seus rivais.

Pondo o cibercrime arbóreo de lado, os cientistas ainda continuam a deliberar sobre a razão que faz com que as plantas se pareçam comportar tão altruisticamente.

A rede oculta cria uma comunidade próspera entre indivíduos. Da próxima vez que for a um bosque, poderá preferir pensar nas árvores como parte de um grande superorganismo, que conversa, troca informações e alimentos debaixo dos nossos pés.

Subscrever a Newsletter

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.