O impacto que o lixo marinho pode ter nos mamíferos terrestres quando dá à costa é menos conhecido do que o seu efeito nos animais marinhos, mas não menos trágico.

Veado com rede presa nas hastes

Fotografias divulgadas pela entidade pública responsável pelo património natural escocês (SNH, na sigla em inglês) mostram veados com artes de pesca descartadas presas nas suas hastes, na ilha de Rum, na Escócia.

Dois dos animais fotografados morreram depois de ficarem emaranhados nas mesmas cordas de pesca. O veado da imagem acima ostenta cordas e uma boia nas suas hastes.

“Muitos de nós já viram imagens desconcertantes de tartarugas, baleias, golfinhos ou aves marinhas enredadas em plástico ou em artes de pesca abandonadas”, escreveu a SNH no seu blog. “Talvez menos conhecido seja o efeito trágico que o lixo marinho pode ter nos mamíferos terrestres quando dá à costa.”

Veados mortos com redes presa nas hastes
Foto: Scottish Natural Heritage

“Infelizmente, os dois veados não sobreviveram. Já estamos demasiado familiarizados com a visão de veados-vermelhos com cordas e redes presas nas suas hastes, particularmente na costa oeste da Escócia. Felizmente, não acaba sempre tão tragicamente, uma vez que os machos perdem as suas hastes na primavera. Não é raro encontrarem-se hastes abandonadas com cordas velhas presas nelas.”

“Mas os piores casos acabam mesmo mal. Muitas vezes a corda prende-se à volta das hastes, mas à medida que o veado se debate para se libertar, também apanha as suas pernas. A corda pode ser surpreendentemente pesada e torna-se um fardo cansativo para o veado carregar com na cabeça. Também pode limitar o movimento, impossibilitando o animal de se alimentar devidamente e levando à inanição.”

Este fenómeno não é exclusivo da Escócia. No Ártico, a proliferação de resíduos plásticos também está a afetar os animais terrestres, incluindo as renas. “Algumas morrem porque não conseguem libertar as suas hastes – encontramo-las todos os anos”, contou o investigador Geir Wing Gabrielsen.

Rena morta com rede presa nas hastes
Rena morta no Ártico

“Claramente, o problema está tão disseminado que serão precisos muitos anos até livrarmos as nossas zonas costeiras dos detritos plásticos”, declarou a deputada escocesa Kate Forbes. “Espero que esta imagem trágica dos dois veados que morreram por causa das nossas cordas abandonadas nos lembrem a todos de levar o nosso lixo para casa, quer trabalhemos nos mares ou estejamos a passar as férias na praia.”

“O lixo marinho é um enorme problema internacional. Mas as pequenas ações podem fazer uma grande diferença, e todos têm um papel a desempenhar”, contou Lesley Watt, da SNH. “A SNH juntou-se recentemente à campanha para deixar de usar palhinhas de plástico e estamos a reduzir os plásticos descartáveis ao fornecer copos de viagem reutilizáveis aos nossos funcionários. Se usar o seu próprio saco quando vai às compras ou levar o lixo para casa depois de um dia na praia, poderá ajudar a salvar a vida de um animal.”

Subscrever a Newsletter

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.