O governo francês quer pôr fim ao flagelo das beatas de cigarro lançadas ao chão e vai obrigar as empresas tabaqueiras a envolverem-se, a menos que as mesmas assumam compromissos voluntários.

Cigarros

A França vai obrigar as empresas tabaqueiras a ajudar a pôr fim à poluição causada pelas beatas dos seus cigarros, que sujam as ruas e contaminam a água, a não ser que as mesmas tomem medidas voluntárias nos próximos três meses.

“Na ausência de compromissos eficazes até setembro, o governo obrigará a indústria a envolver-se na recolha e eliminação dos seus resíduos”, disse Brune Poirson, secretária de Estado da Ecologia.

Segundo estimativas do ministério da Transição Ecológica e Solidária, 30 mil milhões de pontas de cigarro são descartadas todos os anos em França e mais de 40% acabam nas praias, florestas, rios e no mar. Um só filtro pode contaminar centenas de litros de água, devido às substâncias químicas que contém, e demorar mais de uma década a decompor-se, explicou Brune Poirson.

A cidade de Paris recolhe 350 toneladas de beatas de cigarro por ano, apesar da existência de cinzeiros de parede e da ameaça de uma multa de 68€ para quem seja apanhado a deitar um cigarro para o chão.

“O ministério não será brutal no método, mas será firme nos objetivos. A poluição é grande, por isso os compromissos não podem ser pequenos”, disse um representante do ministério. Segundo o mesmo, embora o governo não tenha especificado as medidas que poderá impor, uma das opções possíveis será um sistema obrigatório de reciclagem.

Algumas das empresas de tabaco já reagiram ao anúncio do governo. A British American Tobacco, cujas marcas incluem a Lucky Stride e a Rothmans, disse que trabalharia com o governo para sensibilizar os fumadores e distribuir cinzeiros de bolso, mas defendeu que o estabelecimento de uma responsabilidade alargada do produtor iria contradizer “o princípio do poluidor-pagador, desresponsabilizando os consumidores sem civismo e não resolvendo o problema na sua origem”.

“Não cabe às empresas, aos fumadores ou aos cidadãos pagar, através de impostos ou taxas adicionais, os custos ligados ao tratamento das pontas de cigarro”, disse a empresa, apelando ao Estado para que defina infrações e as sancione “rigorosamente”.

A Imperial Brands, que vende as marcas French Gauloises e Gitanes, incitou os fumadores a deitarem fora as beatas de forma responsável e afirmou que não tinha planos para alterar os seus filtros de modo a torná-los menos poluentes.

De acordo com a revista médica Tobacco Control, as beatas são o tipo de lixo mais comum encontrado nas ruas de todo o mundo e estima-se que se deitem fora 4,5 biliões todos os anos.

Subscrever a Newsletter

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.