Os estudantes da Universidade de Évora decidiram no dia 22 de maio, em referendo, acabar com a garraiada académica na Queima das Fitas. Dos 1086 estudantes que participaram, 667 votaram pelo fim da garraiada.

Touro

Os estudantes da Universidade de Évora decidiram em referendo, no dia 22 de maio, acabar com a garraiada académica na Queima das Fitas.
Dos 1086 estudantes que participaram, 667 votaram pelo fim da garraiada e 405 a favor da sua continuidade, registando-se ainda 12 votos em branco e dois nulos.

A Queima das Fitas de Évora de 2018 começa no dia 25 de maio e vai decorrer até 2 de junho.

O movimento "Estudantes por Évora" em parceria com o Núcleo de Estudantes de Agronomia de Évora já anunciou que vai organizar uma garraiada no dia 25 de maio, às 16:30, no Parque do Centro de Desenvolvimento Agropecuário de Évora (antigo IROMA), independentemente do resultado do referendo.

Depois dos estudantes de Setúbal, do Porto, de Coimbra e de Tomar, foi agora a vez dos estudantes de Évora manifestarem a sua vontade de abolir a garraiada da Queima das Fitas.

Este resultado surge após a apresentação do projeto de lei do PAN para abolir touradas em Portugal.
"A vitória do "Não" vem reconfirmar que a esmagadora maioria dos portugueses rejeita a utilização violenta de animais para divertimento e pede o fim de todas estas atividades. Entendemos este resultado como mais um indício de que o fim das touradas em Portugal e na Europa está mais perto, com cada vez mais referendos e manifestações públicas que defendem a abolição da tauromaquia, sendo que aqueles que representam o futuro assumiram claramente que não se revêm nesta tradição bárbara”, defende André Silva, Deputado do PAN.




Subscrever a Newsletter

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.