Várias cidades norueguesas, incluindo a capital Oslo, decidiram proibir a venda de balões de hélio durante as festividades do Dia da Constituição para proteger o ambiente.

Balões

Várias cidades norueguesas, incluindo a capital Oslo, decidiram proibir a venda de balões de hélio durante as festividades do Dia da Constituição da Noruega (17 de maio). Por trás desta decisão está a preocupação com a poluição causada pelos balões, quando estes caem nos campos, florestas e até no mar.

“Não queremos que se vendam balões de hélio. Causam demasiado lixo”, disse Egil Olsen, diretor da Comissão das Comemorações do 17 de maio em Stavanger, uma das cidades que disse não aos balões. “Quando largamos um balão, é provável que ele vá parar ao mar.”

Entre as cidades que se juntaram a este movimento estão Bergen, Haugesund, Tromsø e Fredrikstad. A câmara municipal de Trondheim permitirá os balões na condição de serem providenciados com um peso que os impeça de voar.

Os balões de hélio são completamente desnecessários. Poluem e usam um gás que é escasso. Não há nada de errado em usarem-se balões com ar normal”, disse Leif Arne Moi Nilsen da Comissão em Stavanger.

Para além de poluírem, os balões também representam uma ameaça para a vida selvagem. “O nosso lixo está a afetar os animais a um nível muito profundo”, explicou Jenny Gray, organizadora de uma campanha australiana contra o lançamento de balões. “Encontram-se, frequentemente, crias de aves com falta de peso e famintas, com os seus estômagos cheios de lixo, incluindo balões e os seus adereços.”

O Partido Verde afirmou que gostaria de ir um passo à frente e ver uma proibição nacional dos balões de hélio. “A maioria das pessoas não gosta de lixo plástico voador. Seria absurdo que qualquer partido não apoiasse uma proposta destas”, disse Rasmus Hansson, do Partido Verde.

Subscrever a Newsletter

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.