A sobrepesca no Mediterrâneo criou um “ciclo vicioso” de golfinhos e pescadores a competirem por recursos pesqueiros em declínio, avisou um estudo.

Golfinho

A sobrepesca no Mediterrâneo criou um “ciclo vicioso” de golfinhos e pescadores a competirem por recursos pesqueiros em declínio, disseram os autores de um novo estudo.

A equipa de investigadores da Universidade de Exeter descobriu, enquanto estudava as interações entre os golfinhos e os pescadores ao largo do norte do Chipre, que as redes de pesca sofriam seis vezes mais danos quando estes cetáceos se encontravam por perto.

“Parece que alguns golfinhos poderão estar ativamente à procura das redes como uma forma de obter alimento”, disse Robin Snape, principal autor do estudo.

“Isto deve-se, provavelmente, à redução dos recursos pesqueiros, que também resulta em capturas reduzidas, e se traduz na necessidade de mais redes e em custos mais elevados para os pescadores. A gestão eficaz dos recursos pesqueiros é urgentemente necessária para se lidar com a sobre-exploração que está a causar este ciclo vicioso.”


Foto: Universidade de Exeter

A utilização de dispositivos acústicos de dissuasão nas redes mostrou-se ineficaz e os cientistas acreditam que os aparelhos poderão até ter atraído os mamíferos marinhos.

Os investigadores estimaram que cerca de 10 golfinhos são capturados acidentalmente na área estudada todos os anos. Contudo, a equipa sugeriu que este número poderá ser inferior à realidade, uma vez que os pescadores podem não comunicar todos os incidentes deste tipo e que não foram contabilizadas as possíveis mortes provocadas pela ingestão do plástico das redes.

Segundo a Sociedade de Conservação Marinha do Reino Unido, os animais que comem plástico sentem uma “falsa sensação de saciedade”, dado que estes detritos podem ficar nos seus aparelhos digestivos e, consequentemente, levar a infeções, problemas nos intestinos, perda de peso e morte.

Os cientistas avisaram que, como se sabe pouco sobre esta população de golfinhos, até perdas aparentemente pequenas poderão ter um grave impacto.

Subscrever a Newsletter

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.