Oficiais armados da polícia e da Marinha do México começaram a patrulhar o habitat das vaquitas marinhas, a bordo de embarcações da Sea Shepherd.



Oficiais armados da polícia federal e da Marinha do México começaram a patrulhar o Golfo da Califórnia – o habitat das últimas 30 vaquitas marinhas do mundo –, a bordo de embarcações operadas pela organização ambientalista Sea Shepherd.

“Esta nova faceta da parceria com o governo surge numa altura em que as tensões estão a aumentar no Alto Golfo da Califórnia. Os pescadores furtivos tornaram-se mais agressivos para com as embarcações da Sea Shepherd, utilizando armas de fogo para deitar abaixo os drones (de vigilância) e objetos incendiários para intimidar a tripulação”, disse a organização num comunicado.

A vaquita marinha foi levada ao limiar da extinção pelas redes de emalhar usadas para pescar outra espécie ameaçada, o peixe totoaba, cuja bexiga-natatória é considerada uma iguaria na China e chega a ser vendida a 22 000€/kg.

Os 12 oficiais que trabalharão em conjunto com a Sea Sepherd terão autoridade para fazer detenções e tomar medidas severas contra a pesca ilegal na reserva protegida do pequeno cetáceo.

No ano passado, o governo mexicano tentou capturar as restantes vaquitas para as transferir para um refúgio protegido. No entanto, este programa foi cancelado após a morte de um dos primeiros exemplares capturados.

Foto: EFE/Secretaria do Ambiente e Recursos Naturais do México

Subscrever a Newsletter

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.