“Enquanto criança, lembro-me da minha mãe usar minissaia e de nos levar ao cinema. A minha tia andou na Universidade de Cabul.” - Horia

AFEGANISTÃO
“Enquanto criança, lembro-me da minha mãe usar minissaia e de nos levar ao cinema. A minha tia andou na Universidade de Cabul.” - Horia

As mulheres afegãs começaram a votar em 1919 - um ano depois das mulheres no Reino Unido e um ano antes das mulheres nos EUA.

Cabul, Afeganistão, 1972
Cabul, Afeganistão, anos 60
Cabul, anos 60
Aula de Biologia na Universidade de Cabul
Escola
Sala de aula
Aeroporto de Cabul
Loja de música, Cabul, anos 60
Coro vocal afegão
Estudantes da Universidade de Cabul, anos 60
Estilista Safia Tarzi no seu estúdio, Cabul, 1969
O Afeganistão na Vogue de dezembro de 1969
Fotografia da Vogue de 1969
IRÃO
Mulheres protestam contra o uso forçado do hijab, Irão, março 1979
Mulheres iranianas protestam contra a lei do Hijab, em Teerão, 1979 | Fotógrafa: Hengameh Golestan
IRAQUE
Em 1933, matriculou-se a primeira mulher iraquiana em Medicina.


Um grupo de alunos da Universidade, em Bagdade, em 1950
Um grupo de alunas da Faculdade de Medicina da Universidade de Bagdade, 1969
Estudantes em Bagdade, em 1939
Enfermeiras iraquianas
Aula de desenho, Bagdade anos 50
Concorrente do Iraque a Miss Universo, 1972



EGITO
Universidade do Cairo, Egito
Praia, anos 50
Mulher polícia, anos 60

Fontes: The Guardian, Amnesty International UK, Diario Norte, Feminist Pics, Dorar Aliraq, Egyptian Streets

Subscrever a Newsletter

48 comentários. Diz-nos o que pensas

  1. estavam muito mais Ocidentalizadas e perfeitamente, inconscientemente colonizadas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi antes das negociaras dos talibans e fundamentalismos saudidas de Estados Islâmicos...
      Libertas que voltaram ao isolacionismo humano...
      Coitas...

      Eliminar
    2. Se estar ocidentalizado significa estar aberto a uma cultura que se propõe universal, acho que elas estavam num caminho muito melhor. Nem tudo que é original, regional, local etc. é positivo. Manter-se num primitivismo desumano e obscurantista não traz vantagem alguma para qualquer povo.

      Eliminar
    3. Se não fosse os talibans a realidade intelectual e cultural seria muito diferente do que se vẽ hj, um lugar onde pessoas e morrem por tão pouco.

      Eliminar
  2. Conta - se o que aconteceu, que droga, faz as coisa pela metade !!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não tem nada pela metade. A proposta era mostrar como eram as mulheres antes do talibã. Se quiser saber saber sobre o que aconteceu, pesquise sobre isso.

      Eliminar
    2. O que aconteceu? Simples. Invasão da União Soviética nos anos 70-80, sendo expulsos por gente mais louca ainda: os que formaram as ditaduras teocráticas no Irã e no Afeganistão e Saddam Hussein no Iraque. Fora Mubarak no Egito.

      Eliminar
    3. esta pela metade sim... como que mostram uma reportagem apontando um passado totalmente inverso do que se ve hoje e não se aponta o que houve para provocar tamanha mudança comportamental??? parece conversa de bar!

      Eliminar
    4. Não está pela metade não. Pois o intuito era apenas mostrar como se era antes dos talibãs.

      Eliminar
    5. E quem financiou essas pessoas q formaram essas ditaduras teocráticas? Os próprios EUA!

      Eliminar
    6. Aconteceu que elas ajudaram a eleger os idiotas fundamentalistasislâm religiosos (igualzinho aqui no Brasil),depois os USA financiaram a guerra desses mesmos fanáticos contra a Rússia,e depois que as coisas saíram completamente do controle, a USA saiu por debaixo dos panos e deixando os fanáticos com total autoridade.
      E... Deu nisso,que vc vê na TV,jornais e internet,hoje em dia.

      Eliminar
  3. Ate parece que no Ociedente sempre se vestiram como se vestem agora....lembrem-se que nos anos 1910 na europa não usavam degotes nem mini saias!!

    https://www.google.co.uk/search?q=women%27s+fashion+in+1918&biw=1280&bih=728&tbm=isch&tbo=u&source=univ&sa=X&sqi=2&ved=0ahUKEwiYhua-yYbLAhVBlhQKHRt_DGAQsAQIGw#tbm=isch&q=women%27s+fashion+in+1910

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Entendi que a proposta não é só mostrar a mudança nas vestimentas e sim no acesso á várias atividades, que hoje elas não têm.

      Eliminar
  4. O que é realmente lamentavel é que ha pessoas que acreditam no que esta escrito nesta pagina!!é a prova que basta um ignorante escaver umas legendas com certas fotos para dar cabo da cabeça dos burros!aqui como em outros lugares so tenho visto pessoas com raiva falarem de aquilo que nao preçebem..tristesa!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Tristeza" é com Z, não com S. E não é "escaver", é escrever. Não é "de aquilo", é sim daquilo."Percebem" não tem cedilha. Aliás não há cedilha em CE e nem em CI, só em ça, ço e çu.

      Eliminar
    2. Aprenda primeiro a escrever e depois tente ilustrar-se para poder comentar alguma coisa, sr. Jerónimo!!!

      Eliminar
    3. O assunto é cultura islâmica ou saber ou não saber escrever? ridicularizar pessoa é muito feio.

      Eliminar
    4. Permitam que cada um se exprima mesmo sem o domínio perfeito da escrita. Há em muita gente muita sabedoria. Importa o debate de ideias fruto de experiências.

      Eliminar
    5. A senhora Adelaide ė intelegente. Porque nào olha por seu CORPO, .?Temos que ser comprehensivos. ...

      Eliminar
    6. Ten Mais e que corridor mesmo, quer dar opinion, então escrow a correto

      Eliminar
    7. Que queiram ser solidários com o outro senhor até compreendo, mas assim também nao se percebe nada 😂😂

      Eliminar
  5. Papelão desta senhora a discussão ou o assunto em pauta é a cultura islâmica e não a língua portuguesa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Entendo o que está senhora quis mostrar. O cara chamou as pessoas de burras entretanto ele não sabe se quer escrever.

      Eliminar
    2. Ele sabe que quer.

      Não sabe fazê-lo. E tem pouca humildade. Entrou leão, saiu cordeiro.

      Eliminar
  6. Sabiam que o Afgnanistão já foi budista, que o Irão já foi cristão e que o Iraque já foi zoroastrista?...o islão elimina e destroi todas as civilizações e culturas onde se instala.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Diga-Me o que o cristianismo fez com a nossa igreja católica... lembra-se? Escravatura... cruzados... e muitas outras aberrações onde eram impostas a nossa religião e crenças. O que há de diferente?

      Eliminar
    2. O Islam é uma religião que leva a Deus como qualquer outra religião, não julgue uma nação toda por conta de alguns lunáticos, e em todas religião tem os bons e os ruins.

      Eliminar
    3. Marco, de onde tirou a idéia de que a igreja católica foi vítima do cristianismo? A igreja católica perseguiu, torturou e matou milhares de cristãos antes do primeiro concílio mundial de "igrejas" ou religiões, como queira chamar. O concílio aconteceu em Niceia por volta de 225. Percebendo que a prática da violência não somava instituir no concílio os fundamentos que uniriam todas as crenças: batismo, Trindade e o a adoração a Cristo. Séculos depois, voltou a prática de pena de morte sumária: a Santa inquisição. Essas afirmações não me colocam em linha de confronto com católicos, por favor! São dados ďe pesquisas de grande pesquisadores mundiais.

      Eliminar
    4. Para ajudar, ver animação PERSÉPOLIS, de 2007.

      Eliminar
    5. Para ajudar, ver animação PERSÉPOLIS, de 2007.

      Eliminar
    6. Religião é um câncer , islamismo é um câncer terminal, sem volta

      Eliminar
  7. Só criticou somente a mulher, mas o críticomascarado já havia corrigido antes...???

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A religião muçulmana, na sua essência é uma religião de paz e amor tal como todas as religiões de Deus. Também é verdade de que as pessoas, certas pessoas fazem interpretação errada e tendenciosa dos conceitos dos livros sangrados para atingir determinados Fins que não tem nada haver com fins religioso (paz, amor e bondade). Se recuámos para um passado recente da história da humanidade encontraremos evidência em como que a Igreja Católica, na altura da expansão colonial, defendia que a escravidão ou seja ser escravizado permiti os negros terem acesso ao reino de Deus. Resumindo, Havai consentimento

      Eliminar
    2. Então explica a permissividade do islã em relação a escravidão e estupro de mulheres "infiéis"? Por que os islamitas proibem que você tenha a bíblia ou construa uma igreja cristã no país deles? Cambada de mentirosos e hipócritas

      Eliminar
    3. Miguel Saraty de Oliveira, a permissividade do Islam em relação à escravidão é a mesma que há na Bíblia, porém, diferente do que a Igreja Católica ajudou a implantar, não havia escravidão com base na cor da pele, nenhum escravo era tratado como sub-humano e escravos, mesmo nessa condição, podiam alcançar altos cargos, mas isso você não sabia porque é um acéfalo, como também não sabe que não existe essa de "estupro de infiéis" conforme algum criminoso te falou (Foi pastor? Porque evangélicos são os mais mentirosos que há entre os cristãos). Diferente de cristãos, que possuem gosto por esse tipo de crime, tanto que estupraram mulheres indígenas, estupravam as escravas, estupraram as alemãs quando a II Guerra Mundial acabou, entre outras atrocidades, como o genocídio de indígenas e congoleses, todos praticados por cristãos, muçulmanos não desejam para outras mulheres o que não querem para as suas, porém, sempre há algum lixo, tipo você, para cometer barbaridades.
      Quanto a ter bíblias em países islâmicos, quem te contou isso? O teu pastor, que enriquece às custas de trouxas que dão dinheiro para ele achando que com isso vão ficar ricos? Como isso é possível se há igrejas cristãs na Turquia, no Egito, nos Emirados Árabes Unidos, no Marrocos, na Tunísia, no Paquistão e em tantos outros países de maioria muçulmana?
      Seu acéfalo! Já te contaram que Papai Noel não existe e nem o Coelhinho da Páscoa?
      Se tivesse cérebro saberia disso, mas como tem merda na cabeça, caga pelos dedos e também pela boca. Use a internet de forma útil, pesquise antes de passar vergonha.

      Eliminar
  8. Convido vcs a conhecer o verdadeiro islamismo, nem uma mulher é forçada a usar o hijab para elas isso é um orgulho, já está muito batida essa história de mulheres do oriente médio ser submissa, eu concordo que em certos países como Arábia Saudita e Afeganistão as mulheres sejam proibidas de muitas coisas, mas não podemos misturar a cultura de um país com a religião, usar burca, aquela vestimenta que cobre até os olhos das mulheres, isso não é islâmico, o que foi deixado para as mulheres muçulmanas foi cobrir a cabeça, as pessoas tem que parar com essa mania de acreditar em tudo que aparece na mídia sobre o oriente médio, porque na maioria das vezes as coisas chegam completamente manipulada para nos do ocidente, tenho muitas amigas que vivem no Líbano e elas tem uma vida normal como qualquer mulher, direitos e deveres como qualquer mulher, já estamos no séc 21 para nos deixar enganar por essas histórias falsas e repetitivas,basta pesquisarmos em lugares certos para ver o quanto o oriente médio é fascinante.
    Um abraço a todos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fernanda, com todo o respeito... Mas com as notícias que a mídia internacional nos trás, somos levados a crer que grande parte dos que professam o Islã, radicalizam e destroem costumes e culturas. Pregam que o Islã dominará o mundo, se necessário, pela espada. Será que todas as mulheres que vivem em países dominados pelo Islã, desejam, "orgulhosamente", usar estas vestimentas que escondem sua beleza e a sua identidade, inclusive, no sentido psicológico? Será que os cristãos que estão sendo mortos, diariamente, por muçulmanos, naquela região, estão pedindo para morrer? Será que estes atos grotescos de enforcamentos, decapitações, afogamentos e incinerações de cristãos são executados a pedido deles?! A mídia é manipulada?! O Boko Haram não existe? O Isis não existe? O Isis e o Boko Haram nada tem a ver com o Islã? Os crimes cometidos pela Igreja católica, no passado, justificam a barbárie do Islã, hoje?! A mídia "esquizofrênica" noticia mentirosamente o tempo todo em tudo o que se refere ao Oriente Médio e ao Islã? Será?!

      Eliminar
    2. Lemos, quem mais sofre nas mãos desses criminosos são os próprios muçulmanos e não os cristãos. Onde tem lido que cristãos estão sendo mortos? Na página da Gospel Prime ou outro site evangélico?
      O Boko Haram existe e sequestra meninas muçulmanas.
      O ISIS existe e aniquila muçulmanos.

      Quanto as mulheres, sim, elas se orgulham de suas vestes, se orgulham de saber quem o pai de seus filhos, se orgulham de não serem umas vagabundas que se expõem feito carne de segunda e como carne de segunda são tratadas. Nenhuma delas são aniquiladas em razão das roupas, como a mídia podre tenta colocar na cabeça das pessoas.

      A propósito, é noticiado mundo afora que as brasileiras são umas putas, que os homens são traficantes, que todo brasileiro faz sexo no meio da rua. Então, devo acreditar nisso?

      Eliminar
  9. Entao gata, uma coisa e uma coisa, outra coisa e vc dizer que as mulheres por la vive como qualquer mulher ao redor do.mundo. Sim, o Oriente e fascinante mas dai a dizer que elas vivem como em qualquer outro lugar e como cair de costas e quebrar o nariz!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só porque uma muçulmana não se comporta como uma vagabunda, como muitas brasileiras, por exemplo, não quer dizer que elas não vivam como em qualquer outro lugar no mundo.
      Liberdade e libertinagem são coisas bem distintas.

      Eliminar
  10. Toda teocracia é autoritária e cerceadora da liberdade !

    ResponderEliminar
  11. Mais Deus no coração, depois no pensamento, nas ações e por último no discurso.

    ResponderEliminar
  12. A religião, ao contrário do que é suposto, continua a criar desavenças, e a prova está aqui. Tanta gente a discutir coisas que leu, que outro alguém escreveu e ninguem tem a certeza se é verdade e no entanto defendem como se tivessem presenciado. Deus vos ajude 😉

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é a religião que cria desavenças, mas arrogância de quem se acha melhor que os outros e em razão disso se acha no direito de desmerecer as pessoas com base em achismos e disse-que-disse.
      Cada um que tente se colocar como melhor que o outro em razão da religião, mas só fazem agir de maneira oposta ao que é pregado porque religião nenhuma prega arrogância e incentiva a ignorância.

      Eliminar

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.