Contentores para o Quénia: Para Onde Vão as Roupas Doadas?

Contentores para o Quénia: Para Onde Vão as Roupas Doadas?

16 de Novembro, 2015 2

A maior parte das peças de vestuário que chegam ao Quénia a partir de doações de países europeus não vão parar às mãos de pessoas necessitadas. Ao invés, entra num circuito lucrativo de compra e venda que asfixia a indústria têxtil local. Este negócio, que por um lado dá emprego a milhares de pessoas em mercados, está na mira das autoridades da África Oriental, que planeia proibir a entrada deste tipo de produtos de caridade para reativar a indústria têxtil local.

Fonte: El País

Comentários
2 comments on “Contentores para o Quénia: Para Onde Vão as Roupas Doadas?
  1. Unknown

    Pois :/ Por isso acho que devemos tentar doar para instituições locais ou darmos directamente a quem precisa, a quem sabemos que vai usar (há muito quem aceite sem ser por questões de necessidade) ou vendermos. As únicas peças têxteis que deixo em contentores ou que entrego na H&M são coisas rotas, restos de tecido para serem reciclados.

    Lembro-me de ler há uns anos que além da questão de assim não se estimular a produção têxtil destes países, muitas vezes a roupa doada também não se adequa ao clima local. Logo nunca será usada e vai ficando por lá sem destino.

    Além disso é uma loucura pensarmos que uma simples peça têxtil viaja todo o mundo na sua vida: produzida na China (com algodão de outro qualquer país), usada na Europa, acaba em África. A quantidade de viagens necessárias para este ciclo continuar é incrível.

    Há poucos meses tive de fazer uma grande limpeza aos têxteis cá de casa e separei tudo muito criteriosamente. Está aqui a postagem: http://tantolixotantoluxo.blogspot.pt/2015/08/roupa-o-que-lhe-fazer.html

    Podemos sempre aproveitar para fazer coisas com tecidos velhos. Acho que é uma mais-valia.

    Sónia
    http://www.tantolixotantoluxo.blogspot.com

    16 de Novembro, 2015 Reply
  2. UniPlanet

    Olá Sónia,
    Sim, o melhor será doar-se roupa e outros objetos a instituições locais ou existe também a embalagem solidária dos CTT através da qual podemos enviar de graça objetos para uma qualquer instituição de caridade com a qual simpatizemos.
    Um abraço,
    Mab

    20 de Novembro, 2015 Reply
Deixe uma resposta

Your email address will not be published.