A Suíça proibiu a prática de se cozinharem lagostas e outros crustáceos vivos em água a ferver. A lei vai entrar em vigor em março.



A Suíça proibiu a prática de se cozinharem lagostas e outros crustáceos vivos em água a ferver e estabeleceu que estes animais devem ser primeiro atordoados, através de legislação para a proteção do bem-estar animal.
"Os crustáceos vivos, incluindo a lagosta, não poderão ser transportados em gelo ou em água gelada. As espécies aquáticas devem ser mantidas no seu meio natural. A partir de agora os crustáceos devem ser atordoados antes de serem mortos”, pode ler-se na lei aprovada pelo governo suíço, no dia 10 de janeiro, e que entrará em vigor em março deste ano.
As lagostas sentem dor devido ao sistema nervoso complexo que possuem, como têm demonstrado estudos recentes.
A nova legislação também procura acabar com o comércio ilegal de cães, proíbe os dispositivos automáticos que castigam os cães quando ladram, explica as condições como devem ser abatidos os animais doentes ou feridos e responsabiliza os organizadores dos eventos públicos pelo bem-estar dos animais.

Em junho do ano passado, a Itália proibiu que as lagostas fossem mantidas vivas em gelo nos restaurantes, devido ao sofrimento desnecessário provocado pela temperatura.

Subscrever a Newsletter

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.