Leopardos-das-neves foram fotografados pela primeira vez no Tibete oriental com a ajuda de câmara de infravermelhos.



Leopardos-das-neves foram fotografados pela primeira vez no leste do Tibete, com a ajuda de câmaras remotas de infravermelhos, avançou a agência de notícias chinesa Xinhua.

“Captamos imagens de crias de leopardo juntamente com a sua progenitora, o que indica que um certo número de animais desta espécie rara vive na região”, disse Zhao Xiang, diretor do Centro de Conservação de Shan Shui.

A presença dos grandes felinos na zona poderá ser um sinal de que os esforços locais de conservação da espécie – classificada como “vulnerável” pela UICN – estão a resultar.

Devido à natureza elusiva dos leopardos-das-neves, os cientistas costumam utilizar câmaras de infravermelhos para os identificar. As câmaras foram colocadas no Vale do Rio Salween, onde existe um dos últimos “rios selvagens” da Ásia, livre de barragens ou de outros projetos, explica a organização International Rivers.

As câmaras tiram fotografias automaticamente quando detetam a presença de um animal de sangue quente. As imagens são posteriormente analisadas pelos cientistas, que identificam os diferentes leopardos-das-neves através dos padrões de manchas na sua pelagem.

Subscrever a Newsletter

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.