Islândia torna ilegal a desigualdade salarial.

Islândia

No dia 1 de janeiro de 2018, a Islândia tornou-se no primeiro país a tornar obrigatória a igualdade salarial entre homens e mulheres, uma vez que entrou em vigor o diploma aprovado em março de 2017 pelo parlamento de Reiquiavique. A lei proíbe que as empresas paguem salários inferiores às mulheres pelo exercício das mesmas funções, obrigando tanto as empresas públicas como as privadas, com pelo menos 25 trabalhadores, a apresentarem um certificado oficial que cumprem a política de igualdade salarial. Caso as empresas não cumpram, serão multadas.

"As diferenças salariais entre homens e mulheres são, infelizmente, uma realidade no mercado de trabalho islandês e está na hora de tomar medidas radicais”, disse em abril Thorsteinn Viglundsson, ministro da Igualdade e Assuntos Sociais da Islândia.

A lei anterior "não estava a funcionar" e por isso "era preciso fazer mais", explicou Aradottir Pind, dirigente da Associação Islandesa para os Direitos das Mulheres.

Subscrever a Newsletter

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.