A partir do dia 11 de maio (considerado o dia zero), os habitantes da Cidade do Cabo deixarão de ter água canalizada em casa.

Cidade do Cabo

A Cidade do Cabo, na África do Sul, pode ser a primeira grande metrópole do mundo a ficar sem água potável.
Segundo as autoridades, esta situação pode tornar-se realidade já a partir de abril deste ano e é resultante de três anos de seca severa, aliada ao aumento do consumo de água potável pela população crescente (atualmente com 4 milhões de habitantes).

O governo tem estado a estudar medidas que permitam a obtenção de água potável, como, por exemplo, a dessalinização de água do mar, coleção de águas subterrâneas e a reciclagem de água. Aos habitantes e aos turistas é-lhes pedido que utilizem cerca de 87 litros de água por dia. A partir do dia 1 de fevereiro, este valor passará para 50 litros por dia.

É agora proibido lavar-se o carro, encher-se piscinas e os banhos não devem demorar mais de dois minutos.
A partir do dia 11 de maio (considerado o dia zero), os habitantes da Cidade do Cabo deixarão de ter água canalizada em casa e passarão a receber 25 litros por dia, sendo que o fornecimento de água será limitado a hospitais e a outros serviços essenciais. De acordo com a campanha sul-africana WaterWise para um uso consciente de água, um banho de chuveiro utiliza em média 15 litros de água por minuto e o autoclismo gasta 15 litros a cada descarga.

“Não conheço nenhum exemplo de uma cidade do tamanho da Cidade do Cabo que tenha ficado sem água. Seria catastrófico”, afirmou Bob Scholes, professor de ecologia da Universidade de Witwatersrand.


Atualização: O dia zero foi adiado de 12 de abril para 11 de maio, devido à diminuição do uso de água na agricultura.

Subscrever a Newsletter

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.