As Autoridades da capital do Irão, Teerão, anunciaram que as mulheres que forem vistas em público sem hijab não vão ser mais presas.



As Autoridades da capital do Irão, Teerão, anunciaram esta semana que as mulheres que forem vistas em público sem cobrirem a cabeça não vão ser mais presas. O hijab passou a ser obrigatório no Irão a partir da revolução de 1979. Desde essa data as mulheres passaram a ser obrigadas a usar um lenço para cobrir a cabeça e roupa comprida e larga.

"As mulheres que não cumprirem o código de vestuário islâmico não serão mais levadas para centros de detenção, nem serão alvo de processos judiciais", informou o chefe da polícia de Teerão, Hossein Rahimi. Em vez de serem presas pela polícia moral ou multadas, como acontecia até agora, as mulheres que forem vistas em público sem hijabs serão forçadas a frequentar aulas sobre o Islão.

Masih Alinejad, criadora da página do Facebook “My Stealthy Freedom”, que tem feito campanha contra o uso obrigatório do hijab no Irão, vê esta mudança de política como um sucesso moderado e ficou cética em relação ao anúncio de Hossein Rahimi.
"Na sua declaração, o chefe da polícia disse que se o lenço cair ‘acidentalmente’, as mulheres não vão ser presas, mas enviadas para aulas", disse Masih Alinejad ao site “Women in the World”. “No Irão de hoje”, acrescentou, “ninguém tira o lenço da cabeça acidentalmente”.

Alinejad contou que, no próprio dia em que o anúncio foi feito, uma jovem que participou na campanha #WhiteWednesdays contra o hijab obrigatório foi presa. "Milhares de mulheres iranianas exigem a sua libertação", contou.
O movimento White Wednesdays é uma campanha na qual as mulheres iranianas têm publicado imagens e vídeos a usarem hijabs ou peças de roupa de cor branca no Instagram com a hashtag #whitewednesdays como manifesto contra o hijab.



No Irão, desde há muito tempo que algumas mulheres protestam contra o facto de serem obrigadas a usar um lenço para cobrir o cabelo em público. A obrigação começou em 1979, depois da revolução. No dia 8 de março de 1979, no Dia Internacional da Mulher, mais de 100 mil mulheres iranianas manifestaram-se nas ruas de Teerão contra a nova lei.



Foto: Mulheres protestam contra o uso forçado do hijab, Irão, março 1979 | © Hengameh Golestan

Veja também:
Porque estão os homens a usar hijabs no Irão?
Persépolis: o livro e filme de Marjane Satrapi


Subscrever a Newsletter

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.