São boas notícias: a população de tigres do Nepal está a crescer de acordo com as expectativas.

Tigre

O Nepal está no rumo certo para atingir o objetivo de duplicar a sua população de tigres até 2022, concluiu um novo estudo.

Em 2010, 13 dos países habitados por estes grandes felinos reuniram-se no Fórum Internacional do Tigre, em São Petersburgo, preocupados com o declínio de mais de 98% verificado na população selvagem de tigres nos últimos 200 anos. A atual população destes animais (3643) é apenas 5% da de há um século.

Na reunião, os países comprometeram-se a duplicar a população selvagem de tigres até 2022 para proteger esta espécie da extinção.

Quando o Nepal assinou a declaração, em 2010, tinha apenas 121 tigres, de acordo com o Departamento de Parques Nacionais e Conservação da Vida Selvagem do país. Em 2013, este número tinha subido para 198.

“Realizámos a nossa investigação no Parque Nacional de Bardia, o segundo maior habitat de tigres do Nepal. O facto de a população de tigres neste parque nacional ter aumentado de 18 em 2009 para 50 em 2013 são notícias boas e interessantes. Embora o crescimento da população de tigres em Bardia tenha sido um dos mais elevados no país, a população de tigres também aumentou significativamente noutros habitats destes felinos no país”, contou Jhamak Bahadur Karki, autor do estudo.

Tigre com crias

Entretanto, acredita-se que os seus números tenham aumentado consideravelmente desde 2013, embora os resultados do censo de 2016 ainda não tenham sido divulgados.

“A gestão de habitats, tal como a conservação das zonas húmidas e pradarias, que, por sua vez, ajudam a salvaguardar uma população viável de presas, juntamente com a segurança para controlar a caça furtiva de animais selvagens são os aspetos chave da conservação dos tigres”, disse o investigador.

Tendo em conta o consumo médio anual de 50 ungulados por tigre, o estudo sugere que o Parque Nacional de Bardia tem espécies de presas suficientes para sustentar uma população maior, de até 100 tigres.

Como a distribuição de espécies de presas não era uniforme, o autor recomenda a introdução de algumas espécies de grande porte, como o búfalo-d'água-selvagem e a espécie de cervídeo Rucervus duvaucelii, no vale de Babai, onde a densidade de presas era significativamente inferior à do Parque Nacional de Bardia.

“A conservação do tigre é muito importante tanto de um ponto de vista ecológico como de um de economia nacional”, defendeu Jhamak Bahadur Karki. “O tigre é a principal atração para os turistas no Parque Nacional de Bardia. Os números dos turistas podem ser aumentados e a economia nacional apoiada, se a população de tigres crescer.”

Subscrever a Newsletter

Partilha:

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.