O Porto está a desenvolver um conjunto de ações para expandir a sua mancha verde.

Viveiro Municipal do Porto

O Porto está a desenvolver um conjunto de ações para expandir a sua mancha verde. Está prevista a plantação de 20 mil árvores em espaços públicos e privados, a produção anual de mais de 15 mil árvores no Viveiro Municipal, para a cidade e toda a Área Metropolitana, e a criação de um bosque urbano nativo na Quinta de Salgueiros, em Campanhã.

Estas ações, integradas no projeto Florestas Nativas Urbanas do Porto, privilegiam as espécies autóctones e pretendem aumentar a biodiversidade e favorecer os corredores verdes na cidade, numa lógica geracional.

Numa primeira fase identificaram 14 áreas para plantação (biospots) nos principais eixos de circulação automóvel do Porto. Esta rede de biospots inclui o Nó do Regado (onde plantaram em fevereiro 735 árvores e arbustos), os nós Nó de Francos, do Freixo, Campanhã, Mercado Abastecedor, Antas, Paranhos, Boavista, Arrábida, Areias, Falcão e nó daEN12 com A3, bem como a Quinta de Salgueiros (junto ao Estádio do Dragão).
Até 2021 serão plantadas e mantidas cerca de 10 000 novas árvores e arbustos nestas áreas.

As plantas são criadas no Viveiro Municipal, que desde 2015 já produziu mais de 55 mil exemplares de 29 espécies diferentes para a cidade e região.
O Viveiro apoia também o Projeto das 100 mil Árvores que se dedica à reabilitação ecológica de 100 ha de áreas ardidas ou necessitadas da Área Metropolitana do Porto.

"Se tem um jardim, temos uma árvore para si" é o lema de um projeto que oferece anual e gratuitamente aos portuenses árvores para plantarem nos seus jardins, quintais ou terraços. A meta é chegar às 10 mil árvores e arbustos nativos até 2020. Desde 2016, já entregaram 3800 espécies.

O projeto Rota das Árvores divulga os espaços verdes, dando a conhecer diferentes espécies que conviveram com os reis, coabitaram com nobres e embelezam o Porto. A próxima visita é dedicada às Árvores do Campo Alegre e realiza-se no dia 25 de novembro.

Vai ser ainda criado um novo pulmão na cidade, o Porto Biolab, na Quinta de Salgueiros, em Campanhã, com cerca de 4 ha. Este bosque urbano vai prestar serviços ambientais, culturais e sociais à cidade. As obras de requalificação começam no primeiro trimestre de 2018.



Fonte: Porto.
Foto: Miguel Nogueira

Subscrever a Newsletter

Partilha:

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.