Uma equipa de cientistas estudou a eficácia de três métodos caseiros e comerciais para remover os pesticidas da fruta.



Como lava a fruta antes de a comer? Passa-a por água da torneira ou limpa-a à t-shirt? De acordo com um novo estudo, existe uma forma mais eficaz de remover os resíduos de pesticidas da sua fruta, que envolve um produto que todos costumamos ter em casa: o bicarbonato de sódio.

Se as maçãs que compra não são de produção biológica, o mais provável é que tenham sido pulverizadas com pesticidas sintéticos. De facto, as maçãs costumam integrar a lista dos 12 alimentos mais contaminados com pesticidas, realizada anualmente pelo Environmental Working Group.

Lili He, cientista da Universidade de Massachusetts, e os seus colegas quiseram testar a eficácia de alguns métodos de lavagem caseiros e comerciais na remoção dos pesticidas das maçãs.

Para tal, os investigadores aplicaram dois pesticidas comuns – o fungicida tiabendazol, que, segundo estudos anteriores, penetra nas cascas das maçãs, e o inseticida fosmete – em maçãs Gala de produção biológica.

De seguida, a equipa lavou estas maçãs com três líquidos diferentes: água da torneira, uma solução de água e 1% de bicarbonato de sódio e uma solução comercial de hipoclorito de sódio aprovada pela Agência de Proteção Ambiental dos EUA e frequentemente usada em produtos agrícolas naturais.



Os investigadores observaram os níveis de pesticidas na superfície e no interior dos frutos, depois de os lavarem. A lavagem com a solução de água com bicarbonato de sódio revelou-se o método mais eficaz. Após 12 e 15 minutos, 80% do tiabendazol e 96% do fosmete tinham sido removidos, respetivamente.

A diferença nas percentagens deve-se provavelmente à maior absorção do tiabendazol pela maçã – os investigadores detetaram que este produto tinha penetrado até 80 micrómetros nas maçãs, ao passo que o fosmete foi detetado a uma profundidade de apenas 20 micrómetros.

Os outros métodos testados – lavar a fruta com água da torneira ou com uma solução de lixívia durante dois minutos, de acordo com a norma do sector – foram muito menos eficazes.

“Se a lavagem industrial [com lixívia] já é suficientemente eficaz, então não precisamos de nos preocupar com a lavagem em casa, certo? Mas acontece que a lavagem industrial não é eficaz”, disse Lili He. “Em casa, a forma mais simples de lavar é com água da torneira, mas nós também descobrimos que usar só água da torneira não é assim tão eficaz. Para reduzir a exposição a pesticidas, sugerimos adicionar um bocadinho de bicarbonatado de sódio.”


Imagem: Yang et al (2017) / Journal of Agricultural and Food Chemistry

Para quem não tiver paciência ou tempo para esperar quinze minutos, a cientista diz que adicionar uma pitada à lavagem é melhor do que nada. Apesar de a equipa ter usado uma concentração de cerca de uma colher de chá para duas chávenas de água, a investigadora disse que "não é preciso ser-se meticuloso, adicionar-se, simplesmente, um bocadinho é melhor do que não se adicionar nada."

Há quem opte por descascar a fruta, mas isto priva-a das fibras, vitaminas e minerais presentes na casca. “A casca da fruta é o que tem a maior concentração de nutrientes, mas também o que tem mais pesticidas”, explica a investigadora. “Há sempre dois lados numa história.”

Para prevenir, o melhor será mesmo mergulhar os seus vegetais e frutas na mistura de bicarbonato de sódio e deixá-los a marinar durante alguns minutos. “É um método de lavagem geral, não só para maçãs, mas também para uvas, espinafres, tomates e folhas de manjericão”, disse Lili He.

O estudo foi publicado na revista científica Journal of Agricultural and Food Chemistry.

Subscrever a Newsletter

Partilha:

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.