O Centro Vegetariano está a preparar um estudo para ficar a conhecer quantos vegetarianos existem em Portugal.

Pessoas a cozinhar

O Centro Vegetariano, uma associação Ambiental para a Promoção do Vegetarianismo, está a preparar um estudo para ficar a conhecer quantos vegetarianos existem em Portugal.

O UniPlanet falou com esta associação para conhecer melhor este projeto.


UniPlanet (UP): O Centro Vegetariano realizou em 2007 um estudo para determinar o número de vegetarianos em Portugal. Agora, dez anos depois, vão realizar um novo estudo. Que perguntas vão fazer aos portugueses?

A intenção é repetir as mesmas perguntas de há dez anos. Ou seja, vamos perguntar com que frequência comem carne, peixe, ovos e laticínios, sendo as opções de resposta "Nunca", "Ocasionalmente" e "Frequentemente".

Escolhemos essas quatro perguntas principalmente por uma questão de rigor. Seria mais óbvio perguntar simplesmente "Qual o tipo de dieta que segue?" Mas o problema com essa pergunta é que há diferentes tipos de entendimento quanto ao que é ser vegetariano ou vegano. Ora neste caso o objetivo é apenas determinar o número de pessoas que segue uma dieta vegetal, eventualmente incluindo ou não ovos e laticínios. Portanto, ao perguntarmos com que frequência consomem determinado tipo de alimentos podemos obter mais dados e de melhor qualidade, com apenas quatro perguntas muito claras e rápidas de responder.



UP: Relativamente aos resultados da análise realizada em 2007, que diferenças estão à espera de encontrar em 2017?

Isso é para nós uma grande incógnita. Parece-nos óbvio que há agora muito mais informação sobre alimentação saudável, maior facilidade em encontrar produtos diversificados, muito maior oferta de refeições vegetarianas nos restaurantes e cantinas, além até de um enquadramento legislativo que reconhece o direito à alimentação vegetariana nas cantinas. Mas permanece a dúvida se há um aumento proporcional no número de pessoas que optam exclusivamente pela alimentação vegetariana ou vegana, ou se esse aumento é inferior ou superior. No fundo é isso que queremos saber ao certo. Mas do estudo vamos retirar bastante mais dados, tal como há dez anos atrás.
Logo do Centro Vegetariano

UP: Quais são os custos associados a este estudo?

O custo depende essencialmente da qualidade e dimensão da amostra, bem como da forma de realização do questionário. Temos neste momento várias opções, com custos desde pouco mais de dois mil euros até mais de quinze mil. As opções mais baratas correspondem a amostras mais pequenas ou de menor qualidade estatística, as mais caras a amostras melhores e de maior dimensão. Naturalmente, quanto maior e melhor a amostra mais reduzida será a margem de erro e melhor confiança podemos ter no resultado. O estudo de 2007 foi feito pela AC Nielsen, com 2000 inquéritos presenciais, sendo esperada uma margem de erro de 2,2 % para um intervalo de confiança de 95% no resultado. Este ano queríamos fazer pelo menos com a mesma qualidade. Mas a decisão final vai depender dos apoios que conseguirmos reunir, se tivéssemos de decidir neste momento teríamos de tomar uma opção mais económica.


UP: De que forma podemos ajudar na realização deste estudo?

A forma mais fácil será através de donativo para o IBAN PT50 0035 0567 00037625930 06 (conta da CGD). Em jeito de reconhecimento o Centro Vegetariano vai depois manter um agradecimento público a todos os apoiantes que não prefiram permanecer anónimos. Quem pretender apoiar pode contactar diretamente para observatorio@centrovegetariano.org.

Subscrever a Newsletter

Partilha:

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.