O Ruanda vai receber 20 rinocerontes negros da África Oriental, depois de estes animais terem desaparecido do país há 10 anos.



O Parque Nacional de Akagera, no Ruanda, vai receber cerca de 20 rinocerontes negros da África Oriental, 10 anos após estes animais terem desaparecido do país.
“Este extraordinário regresso a casa ocorrerá durante as primeiras duas semanas de maio”, declarou a organização African Parks.

Os rinocerontes negros da África Oriental são uma subespécie de rinoceronte classificada pela UICN como “criticamente ameaçada”. Segundo estimativas dos conservacionistas, existem menos de 5000 rinocerontes negros em estado selvagem no mundo, sendo que apenas cerca de 1000 destes são da subespécie da África Oriental.

“Os rinocerontes são um dos grandes símbolos da África e, no entanto, estão gravemente ameaçados e em declínio em muitas zonas do continente, devido ao comércio extremamente lucrativo e ilegal do chifre de rinoceronte”, disse Peter Fearnhead da African Parks.

Após décadas de caça furtiva, 2007 foi o ano da última observação confirmada de um rinoceronte negro no parque de Akagera, que, nos anos 70, era lar de mais de 50 destes animais.

Para receber os novos “moradores”, que vêm da África do Sul, o parque tem preparado diversas medidas de segurança, que incluem um helicóptero para vigilância aérea, uma equipa de monitorização e proteção e uma unidade canina anti-caça furtiva.

Em 2015, o Ruanda reintroduziu leões no parque de Akagera, 15 anos após o seu desaparecimento. Com a reintrodução dos rinocerontes, o parque voltará a ter os “cinco grandes” de África – o rinoceronte, o leão, o elefante, o leopardo e o búfalo.


Vídeo: A reintrodução dos rinoceroontes no parque de Akagera

Subscrever a Newsletter

Partilha:

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.