De que estamos à espera para revolucionar a agricultura?



Como é a agricultura de hoje em dia? Cada vez menos agricultores (50% em 1930 e 3% em 2013), muitas máquinas, fertilizantes, fungicidas, pesticidas e herbicidas. Cada vez menos variedades cultivadas em superfícies cada vez maiores. 30% da terra arável cultivada é para alimentar o gado.
Um batalhão de camiões, aviões, barcos para transportar comida de onde é produzida para onde é consumida e o preço imposto por um pequeno número de empresas.

Tudo isto origina alguns problemas

Terras degradadas, doenças, desregulação do clima, desaparecimento das abelhas e da biodiversidade, poluição do ar e da água. Menos petróleo, tornando-se cada vez mais raro transportar comida.
Mil milhões de pessoas passam fome todos os dias embora, segundo a ONU, as pudéssemos alimentar a todas.

Mas existem soluções

Um estudo realizado durante 30 anos no Reino Unido mostrou que a agricultura biológica é mais eficiente do que a agricultura química a todos os níveis.
De acordo com um relatório da ONU, a agroecologia duplicaria em 10 anos os rendimentos de muitos países e permitiria criar pequenas quintas muito produtivas sem uma gota de petróleo e ainda gerar mais de 500 mil empregos.
Comer alimentos biológicos, regionais e da época e encurtar as distâncias da distribuição é permitir que os agricultores se instalem e ganhem mais, é manter uma agricultura de alimentos saudáveis na zona onde vivemos.
Plantar em toda a parte é reintroduzir a natureza e a agricultura nas nossas varandas e nos nossos jardins. É participar na produção do que comemos. É propagar sementes antigas reprodutíveis.
Investir em cooperativas agrícolas é retirar terras da propriedade privada e impulsionar quintas biológicas.

De que estamos à espera para revolucionar a agricultura?


Subscrever a Newsletter

Partilha:

0 comentários. Diz-nos o que pensas

Obrigado pelo comentário! Respeite os outros leitores. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão eliminados.